s
Crédito: Pexels/Pixabay
CARREIRA

Por mais mulheres na liderança

No mundo corporativo, um levantamento indica que apenas 46% se dizem plenamente confortáveis com uma mulher como chefe. Em organizações brasileiras, o número cai para 43%

A transformação cultural do mundo corporativo passa pela igualdade de gênero na liderança – e vice-versa. No setor de tecnologia, o desafio de ter maior representatividade feminina em cargos de tomada de decisão é evidente há 25 anos. Mas a cultura do ecossistema de inovação caminha lentamente para este objetivo.

De acordo com pesquisa da Deloitte do ano passado, mulheres ocupam apenas 16,9% dos cargos de liderança globalmente. No Brasil, a proporção cai para 8,6%. O setor de tecnologia não aparece entre as indústrias com maior parcela feminina na liderança, mas nas cinco big techs dos EUA (Facebook, Amazon, Apple, Google e Microsoft) a proporção cresce para 30%.

É consenso entre estudos nesta área que diversidade na liderança promove resultado e inovação. No mercado financeiro, fundos geridos por mulheres performam melhor do que os controlados por homens, de acordo com dados revelados pelo Goldman Sachs. Aliás, o banco definiu que a partir de julho não iria intermediar processos de IPOs de empresas que não tivessem ao menos uma mulher no conselho.

CADASTRE-SE GRÁTIS PARA ACESSAR 5 CONTEÚDOS MENSAIS

Já recebe a newsletter? Ative seu acesso

Ao cadastrar-se você declara que está de acordo
com nossos Termos de Uso e Privacidade.

Cadastrar

A intenção do Goldman Sachs é boa, mas a iniciativa não é suficiente. Empresas não podem simplesmente inserir uma mulher em um conselho de administração e reivindicar uma posição de apoio à igualdade e diversidade de gênero. Trata-se de uma transformação cultural para a diversidade que se origina e se concretiza nas posições de liderança.

Apenas 46% do mundo corporativo diz estar plenamente confortável com uma mulher como chefe, segundo levantamento da Kantar. Em organizações brasileiras, o número cai para 43%. Estes dados comprovam que ainda existem diversas barreiras culturais invisíveis impedindo que as mulheres possam crescer na carreira e efetivamente atuar como líderes.

O futuro do trabalho é promissor

Liderança

O futuro do trabalho é promissor

Haverá aumento das oportunidades de trabalho na economia digital movida pela IA? Sim, mas apenas se as lideranças estiverem prontas para lidar com quatro grandes limites, diz estudo do BCG.

KPIs ESG ainda são raros

ESG

KPIs ESG ainda são raros

O princípio que norteia as métricas-chave de desempenho das empresas "escorrega" quando o assunto é ESG. Indicadores-chave consistentes ainda deixam a desejar, segundo pesquisa da KPMG.

Invista em treinar e desenvolver a equipe

Liderança

Invista em treinar e desenvolver a equipe

Embora o treinamento e desenvolvimento de funcionários sejam caros, pesquisas apontam que esse tipo de atividade aumenta o senso de conexão com a empresa. E cada vez mais treinamentos que utilizam IA podem ser implementados no ambiente de...

A Construção Criativa pede passagem

Liderança

A Construção Criativa pede passagem

Pesquisas da EY,BCG e McKinsey mostram quais são as atitudes e tendências que os CEOs do mundo todo estão adotando para crescer nos negócios e obter melhores resultados

O que torna o feedback tão difícil?

Liderança

O que torna o feedback tão difícil?

A dor de descobrir lacunas profundas provoca fortes emoções e aciona gatilhos indesejados. Às vezes, a hesitação em aceitar essas lacunas vem das reservas que temos com a pessoa que as apontou

Fuja do paradoxo da performance

Carreira

Fuja do paradoxo da performance

Cuidado. Você pode estar se sabotando procurando não errar, perseguindo metas limitantes, inatingíveis sem um grande esforço, e acabar sem energia para o que realmente importa