s
Escritório do Hubspot, que se destacou no levantamento da Glassdoor de melhores empresas para se trabalhar Crédito: Divulgação
CARREIRA

Glassdoor: 50 melhores empresas para trabalhar no Brasil

O Glassdoor, um dos maiores sites de recrutamento do mundo, liberou seus rankings anuais de melhores empresas para trabalhar com uma novidade: o Brasil

O Glassdoor, um dos maiores sites de recrutamento do mundo, liberou seus rankings anuais de melhores empresas para trabalhar com uma novidade: o Brasil. Os rankings, que até o ano passado cobriam cinco países – EUA, Canadá, Reino Unido, França e Alemanha – agora são 9, e passam a incluir também Argentina, México e Singapura (você consegue ver todos aqui)

O ranking Brasil tem 50 empresas e os três primeiros lugares são ocupados por companhias de tecnologia: SAP, ThoughtWorks e Google, nessa ordem. Aliás, o setor de tecnologia pure breed tem 9 empresas na lista (Amazon entrou, mas está em varejo). Das 50 companhias, apenas 20 são brasileiras, incluindo as fintechs Nubank e Creditas e a Loggi (única startup de mobilidade).

Uma das características importantes dos rankings da Glassdoor é que eles são obtidos a partir da análise das avaliações compartilhadas pelos funcionários, portanto pesa fortemente a cultura corporativa que de fato é praticada. “As pessoas se preocupam profundamente com o local onde trabalham e número crescente de pesquisas mostra que empresas com culturas excelentes não só têm uma clara vantagem competitiva para atrair talentos, mas também frequentemente lideram em termos de desempenho financeiro” (Andrew Chamberlain, Economista-chefe da Glassdoor).

CADASTRE-SE GRÁTIS PARA ACESSAR 5 CONTEÚDOS MENSAIS

Já recebe a newsletter? Ative seu acesso

Ao cadastrar-se você declara que está de acordo
com nossos Termos de Uso e Privacidade.

Cadastrar
A cultura corporativa fala mais alto

A cultura corporativa fala mais alto

 

“Quiet quitting”: um barulho ensurdecedor chega às empresas

Tendências

“Quiet quitting”: um barulho ensurdecedor chega às empresas

Movimento que defende trabalhar apenas o contratado começa no Tik Tok, invade as redes sociais e acende o sinal amarelo na área de RH: será tão perigoso quanto a "Grande Demissão?"

Lugar de mulher também é no metaverso

Inovação

Lugar de mulher também é no metaverso

Número de profissionais envolvidas com os mundos virtuais cresce globalmente. Empresas como a Meta, a Sandbox e a agência de NFT World of Women apostam na formação tecnológica feminina

Quando os atributos são mais relevantes que as habilidades

Tendências

Quando os atributos são mais relevantes que as habilidades

E por que compreender a diferença entre os dois é um passo crítico para otimizar seu desempenho em tempos desafiadores, segundo os profissionais de RH

O trabalho mudou: agora é a vez de mudar a retenção de talentos

Carreira

O trabalho mudou: agora é a vez de mudar a retenção de talentos

Muitas lideranças gastam boa parte do tempo em conversas com recrutadores para encontrar candidatos para reforçar suas equipes

Sem habilidades sociais, não dá para ser CEO

Carreira

Sem habilidades sociais, não dá para ser CEO

A mudança nas habilidades desejadas pelas organizações privilegia a boa comunicação e a capacidade de convencer e entender o que as pessoas querem

Geração Z e o fim do trabalho que conhecemos

Tendências

Geração Z e o fim do trabalho que conhecemos

As organizações estão diante do desafio de construir culturas que levem em conta as necessidades e sejam capazes de atrair, engajar e reter talentos da Geração Z