s
Desenvolver a Inteligência de conexão pode se transformar em uma vantagem competitiva Crédito: Pixabay
LIDERANÇA

Inteligência de conexão é vantagem competitiva para lideranças

Ao ampliar as conexões que fazem parte de sua rede, uma liderança consegue quebrar o círculo limitado de ideias e ainda se comunicar muito melhor com os stakeholders

Por Soraia Yoshida 03/01/2022

Toda organização que tiver ambição de inovar e crescer precisa contar com um ambiente colaborativo. Isso está claro. Só que a reorganização do mundo do trabalho trouxe um novo desafio com o trabalho remoto e o trabalho híbrido: desenvolver relacionamentos que sejam fortes, autênticos, em que os stakeholders se sintam ouvidos e capazes de colaborar. Para fazer essa conexão em todas as pontas, as lideranças precisam cultivar e promover conexões em diferentes níveis, dentro e for a da empresa. O que alguns conhecem como inteligência de conexão.

O conceito connectional intelligence explorado por Erica Dhawan e Saj-Nicole Joni no livro “Get Big Things Done: The Power of Connectional Intelligence” diz respeito à capacidade que todos temos ou podemos desenvolver de combinar conhecimento e capital humano, desenvolvendo conexões que criam valor. Mas já não é isso que a maioria das empresas faz há muito tempo? Sim. O que a inteligência de conexão propõe é como criar as conexões e como usá-las depois.

Veja só: empresas que usam pesquisa de mercado e mantêm relações com os clientes através de comunicados ao mercado têm um alcance limitado. Essas empresas constroem seus produtos e serviços a partir das descobertas nas pesquisas e os oferecem como solução para algum tipo de problema. Pela abordagem da inteligência conexial, as empresas precisam envolver a colaboração com uma variedade ampla de fontes externas – sejam especialistas, parceiros, concorrentes etc –, o que implica em cultivar de maneira ativa e estratégica as conexões com quem está fora do processo tradicional de solução de problemas de negócios.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Quer inovar? Olhe para dentro

Inovação

Quer inovar? Olhe para dentro

Ao apostar no empreendedorismo interno, as empresas aproveitam o talento dos colaboradores e aumentam as chances de inovar de forma acelerada.

IA e a construção da estratégia

Inteligência Artificial

IA e a construção da estratégia

A IA estratégica é uma ferramenta que pode simplificar a vida dos executivos. Um meio de acelerar o impacto, lidar com disrupções e desbloquear novas oportunidades de mercado. Mas ela deve servir ao negócio e não o contrário.

A erupção dos

Tendências

A erupção dos "colarinhos verdes"

As empresas que, no ano passado, sofreram uma fuga de talentos poderão ter dificuldades se quiserem contratar uma nova leva de profissionais. É que os green jobs estão absorvendo esta mão-de-obra, ao mesmo tempo em que a qualifica.

RH, equilibrista de pratos em 2023

Gestão

RH, equilibrista de pratos em 2023

Se dizemos que, nos últimos tempos, a vida do CEO não tem sido fácil, imagine a dos gestores de talentos? Tendo que disputar profissionais em um mercado de demanda aquecida, retê-los e ainda promover um ambiente de inovação que qualif...

2023: um ano de ventos e trovoadas

Tendências

2023: um ano de ventos e trovoadas

Lá fora recessão. No Brasil, transformação. O ano de 2023 promete mares bravios para os CEOS - capitães fortalecidos pela tempestade-pandemia e seus rescaldos no ambiente corporativo. A THE SHIFT mapeou as tendências que podem afetar...

As lideranças estão precisando de terapia

Liderança

As lideranças estão precisando de terapia

Depois das contínuas avalanches pandêmicas e corporativas, os líderes estão inseguros e não estão mais sabendo como inspirar e reforçar suas equipes. Trata-se de um movimento natural e que tem remédio no curto prazo. Aliás, acredit...

Por Cristina De Luca