s
360°

A SXSW 2022 e o novo shift da Internet 

A Web3 está só começando e ainda há muito por desenvolver. O choque de paradigma de modelos centralizado vs descentralizados é um grande impasse para atingirmos o potencial que essa tecnologia pode proporcionar.

Por Joaquim Santos Neto, especial para The Shift 21/03/2022

Recriação de rua de Austin, Texas, no projeto SXSW XR Experience World, com parceria da FLUF World

A SXSW 2022 apresentou novas tendências ao mundo da tecnologia. Acompanhei toda a trilha Tech da conferência e vejo, em um futuro breve, um grande movimento de desaprender e aprender novamente. Observando as sessões de Amy Webb, Scott Galloway, Mark Zuckerberg e Joost van Dreunen, entre muitas outras apresentações de personalidades marcantes, vejo uma nova disrupção à frente. A Internet vai, mais uma vez, avançar para um novo modelo.

A Web vai passar por um novo grande shift, uma nova grande revolução. No seu início, que ficou conhecido como Web 1.0 (ou Web1) o grande impacto foi a distribuição da informação. Nessa época nos tornamos a Sociedade da Informação, democratizando o acesso a um grande volume de dados para todos que podiam se conectar a ela. As discussões sobre inclusão digital começaram a se formar, lá atrás, por conta da falta de acesso para todos.

Em seguida evoluímos para Web 2.0 (Web2), um período marcado pela migração dos negócios para o mundo digital, e nos tornamos a Economia da Informação. Empresas, marketplaces e instituições financeiras incorporaram a internet aos seus negócios, o e-commerce se fortaleceu, e novos modelos digitais nasceram. Avançamos nossos processos, crescemos a nossa produtividade por meio da tecnologia, mas os processos tradicionais de negócios e transações financeiras permaneceram ainda, na grande maioria, centralizados em grandes corporações e regulados por governos.

CADASTRE-SE GRÁTIS PARA ACESSAR 5 CONTEÚDOS MENSAIS

Ao cadastrar-se você declara que está de acordo
com nossos Termos de Uso e Privacidade.

Cadastrar

A nova transformação da Internet será na Web 3.0 (Web3). Com tecnologias como Blockchain, Metaverso, NFT (Non-fungible token), entre outras, nasce um novo modelo – a Propriedade da Informação. A Web3 cria uma nova infraestrutura de transparência, confiança e controle da informação, na qual os pilares básicos são descentralização, privacidade, identidade digital, comunidade, dados abertos e finanças descentralizadas.

Mas o que é a Web3? É um novo ambiente no qual a imersão sensorial (visão, audição, tato, olfato e paladar) nos permitirá interagir de forma mais humanizada com pessoas e “Inteligências Artificiais (IA)” usando dispositivos computacionais. Você terá controle de seus dados por meio de uma identidade digital, e não precisará ter diferentes logins para diversos sites e aplicativos. Os usuários passam a ter a posse e o controle do uso dos seus dados pessoais, apoiados fortemente por novas regras como a LGPD e a GPDR.

Uma nova infraestrutura de tecnologia e padrões abertos trará um revolução enorme para os negócios, marketing digital e transações financeiras. Haverá mudança nos processos centralizados nas instituições tradicionais para descentralizados. Organizações Autônomas e Descentralizadas (DAO – Decentralized Autonomous Organization) com objetivos definidos, serão formadas com o senso de comunidade e propósito.

Processos descentralizados e governança permitirão que essas organizações estabeleçam objetivos de maior impacto no planeta para além dos resultados de negócios apenas. As Finanças Descentralizadas (DeFi – Decentralize Finance) estarão muito mais alinhadas às DAOs, criando um sistema financeiro global, descentralizado, independente, mais barato, menos burocrático e acessível a todos, impactando significativamente as verticais de finanças, varejo, saúde e educação.

Uma revolução tecnológica será iniciada com a Web3, já que o uso do Metaverso, NFT e Blockchain implicarão em novos aplicativos e dispositivos. Novos serviços e arquiteturas serão desenvolvidos. Trabalhar com dados pessoais privados será bem diferente, uma vez que o controle e a posse do dado passam para os usuários, que podem conceder ou não seu acesso e uso para diferentes organizações.

Visualizar e entender comportamentos dos usuários será um novo desafio para o Marketing Digital. Descobrindo um novo mundo digital de possibilidades para comércio, moda, educação, etc., onde o limite é somente a imaginação.  O ponto importante aqui é a experiência. A Web3 abrirá uma nova fronteira de experiências digitais sem precedentes através do uso do Metaverso.

Moda, mídia, shopping e varejo são apenas exemplo de segmentos que terão suas experiências totalmente alteradas. O mais interessante aqui será observar como esses novos ambientes se conectaram ao mundo físico. Por exemplo, entrar num shopping no Metaverso e experimentar um tênis com seu avatar. Comprar o tênis virtual para utilizar em eventos no Metaverso e, em paralelo, receber o mesmo tênis físico por drone na sua casa de forma rápida. Será muito interessante observar essa conexão nos diversos segmentos de negócio. Tornando o mundo virtual cada vez mais próximo do real.

A Web3 está só começando. Embora já tenhamos vários exemplos de ambientes operacionais, ainda há muito por desenvolver. O choque de paradigma de modelos centralizado vs descentralizados será ainda um grande impasse para atingirmos o potencial que essa tecnologia pode proporcionar. Mesmo assim, precisamos evitar o uso inadequado desse novo ambiente, visando privilegiar poucos e tentando ainda manter o modelo centralizado. É nossa responsabilidade desenvolver uma novo ambiente que beneficie todas as pessoas. Esse certamente será o legado que deixaremos para futuras gerações.


Joaquim Santos Neto é Diretor da Di2B. Com experiência de mais de 30 anos na área de TI e Gestão, foi CIO por 17 anos em grandes empresas de shopping center. MIT, Stanford, Mestrado em Ciência da Computação na COPPE – UFRJ. Professor da PUC-RJ. Eleito um dos 100 IT Leaders Brasil 2013, 2014 e 2017 pela Computerworld e 9º Profissional de Segurança da Informação Mundial pela Oncon Icon 2021.

SXSW 2022: aprendizados para além do hype

The Shift 360°

SXSW 2022: aprendizados para além do hype

O que mais chamou a atenção? Para se posicionar no mundo descentralizado, comandado pela IA e por realidades paralelas, observação, criatividade e experimentação são ainda mais necessárias

SXSW 2022: as tendências para o futuro que chega mais cedo

The Shift 360°

SXSW 2022: as tendências para o futuro que chega mais cedo

The Shift acompanha as conversas mais importantes do festival e traz para você não sofrer de FOMO

Inovação premiada: conheça os ganhadores do SXSW Pitch

The Shift 360°

Inovação premiada: conheça os ganhadores do SXSW Pitch

Com categorias que vão da IA ao futuro do trabalho, as startups ganhadoras apresentam soluções para diferentes problemas e demandas atuais.

Por Redação The Shift
10 lições não-óbvias de Rohit Bhargava

The Shift 360°

10 lições não-óbvias de Rohit Bhargava

Se há algo que o escritor e especialista em marketing e inovação faz bem é exercitar a curiosidade para identificar mudanças de comportamento que antecipam tendências. E provou isso mais um vez

Afinal, para que servem Web3, NFT e Metaverso?

The Shift 360°

Afinal, para que servem Web3, NFT e Metaverso?

"A Web3 é sobre propriedade", explica Sandy Carter, ex-IBM, ex-AWS, e atualmente SVP da Unstoppable Domains, uma empresa que registra domínios associados ao mundo do DeFI

Por Marina Hortélio
Amy Webb convida à re-percepção

The Shift 360°

Amy Webb convida à re-percepção

A re-percepção é a essência da criatividade, da inovação e do empreendedorismo, além de qualidade essencial da boa gestão, segundo Amy Webb, em sua fala anual no SXSW 2022

As DAOs vão muito além do óbvio

The Shift 360°

As DAOs vão muito além do óbvio

Com as DAOs (Decentralized Autonomous Organization, ou Organização Autônoma Descentralizada), estamos diante de um movimento que muda diariamente enquanto é construído por seus players.

John Maeda: resiliência e adaptação para prosperar

The Shift 360°

John Maeda: resiliência e adaptação para prosperar

As empresas precisam ter resiliência e saber se adaptar e se proteger para prosperar, segundo o especialista em inovação John Maeda

Mais aberto e conectado: uma outra visão do metaverso

The Shift 360°

Mais aberto e conectado: uma outra visão do metaverso

Diferente do que propõem Mark Zuckerberg e Scott Galloway, existem companhias que imaginam o metaverso como um ambiente aberto e não controlado por uma única empresa

Por Redação The Shift
Neal Stephenson centra foco na crise climática

The Shift 360°

Neal Stephenson centra foco na crise climática

Considerado um dos escritores mais influentes da geração tech, ele defende que soluções escaláveis sejam aplicadas para reduzir o dióxido de carbono na atmosfera

Por Redação The Shift
O metaverso vai oferecer experiências descentralizadas, diz Zuckerberg

The Shift 360°

O metaverso vai oferecer experiências descentralizadas, diz Zuckerber...

Para o cofundador do Facebook, as pessoas vão explorar diferentes avatares como forma de expressão e poderão experimentar a sensação de estarem presentes em qualquer lugar

Por Redação The Shift
Scott Galloway questiona a Web3 e reposiciona o Metaverso

The Shift 360°

Scott Galloway questiona a Web3 e reposiciona o Metaverso

Na sua opinião, o metaverso está mais para voz que para as tecnologias visuais: menos "Matrix", e mais parecido com o filme "Her". E a Apple será a empresa dominante, não a Meta