s
Edifício-sede do Banco Central no Setor Bancário Norte, em Brasília Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

MERCADO

Open Banking no Brasil: enfim, a regulamentação

Uma das apostas do Banco Central para baixar a taxa de juros cobrada pelos bancos e incentivar a competição no mercado de crédito, depende do compartilhamento de dados dos clientes

Por Redação The Shift 05/05/2020

O Banco Central (BC) e o Conselho Monetário  Nacional (CMN) publicaram nesta segunda-feira, 04/05, a resolução que regulamenta o Open Banking no Brasil. Uma das principais apostas do BC para baixar a taxa de juros cobrada pelos bancos e incentivar a competição no mercado de crédito.

Na opinião dos reguladores, quanto mais informações as instituições financeiras têm à sua disposição sobre potenciais clientes, mais seguras elas se sentirão para oferecer empréstimos mais baratos. Por isso, o BC quer que os bancos compartilhem entre si dados como a renda dos clientes e o histórico de crédito, desde que haja consentimento prévio do cliente.

O modelo será obrigatório para os grandes e médios bancos, classificados pelos Banco Central como S1 e S2. Já os demais agentes de mercado, como fintechs, têm entrada optativa, mas uma vez dentro têm que compartilhar informações.

Receba grátis nossa newsletter

O cronograma de implementação anunciado tem os seguintes prazos:

Fase 1: Compartilhamento de informações sobre produtos e serviços por instituições participantes (prazo final em novembro de 2020);
Fase 2: Compartilhamento de dados básicos do cliente e transações (prazo final em maio de 2021);
Fase 3: Início dos pagamentos (prazo final em agosto de 2021);
Fase 4: Implementação de um escopo mais amplo de compartilhamento de dados, levando em conta pensões, câmbio, seguros, produtos de investimento, entre outros (Prazo final em outubro de 2021).

A receptividade foi boa. Na opinião de vários players, incluindo fintechs, reforçar o compromisso com o Open Banking, mesmo em um contexto pandêmico, é um sinal muito positivo, e coloca o Brasil em uma posição importante no contexto global da inovação financeira.

Vale ler também:

Setor de seguros acelera sua digitalização

Mercado

Setor de seguros acelera sua digitalização

Três movimentos da Susep, o órgão regulador do mercado, devem acelerar a inovação e fomentar ainda mais a concorrência ao abrir caminho para as Insurtechs e para o modelo Open Insurance

Por Cristina De Luca
Transformação digital: quando uma empresa domina o digital

Tendências

Transformação digital: quando uma empresa domina o digital

Ter capacidade de liderança e capacidade digital são os elementos principais para uma empresa atravessar o processo de transformação, mas é preciso olhar para a experiência do funcionário

Por Redação The Shift
Economia digital: qual é o papel da liderança estratégica

Liderança

Economia digital: qual é o papel da liderança estratégica

Uma pesquisa levantou qual deve ser o mindset das lideranças, quais são suas falhas e o que fazer para que suas organizações adotem uma estratégia para a economia digital

Por Redação The Shift
A Healthcare AI precisa cair na real

Inteligência Artificial

A Healthcare AI precisa cair na real

A Inteligência Artificial tem o poder de mudar o setor de saúde para melhor. Mas desbloquear todo o potencial da tecnologia requer que sejamos mais realistas sobre suas limitações

Por Cristina De Luca
Govtech recebe mais investimento, mas ainda há barreiras nos governos

Economia Digital

Govtech recebe mais investimento, mas ainda há barreiras nos governos

Economia com transformação digital do setor público pode passar de US$ 1 trilhão, além de 30% das horas de trabalho

Por Redação The Shift
Tecnologia gera negócios para um mundo que está envelhecendo

Tendências

Tecnologia gera negócios para um mundo que está envelhecendo

O envelhecimento da população representará uma das maiores transformações sociais, econômicas e políticas do nosso tempo

Por Redação The Shift