s
Crédito: Divulgação

ECONOMIA DIGITAL

Retomada do food service será digital

Após perder 1,3 milhão de empregos, setor de bares e restaurantes volta a crescer e gerar oportunidades de trabalho

Por João Ortega 10/11/2020

O ano de 2020 está sendo cruel para o setor de food service. Bares e restaurantes perderam 1,3 milhão de empregos durante a pandemia, de acordo com dados da Abrasel. Comparado ao ano passado, o faturamento médio dos restaurantes caiu 40%. Estima-se, ainda, que 30% dos estabelecimentos fecharam as portas definitivamente desde março. 

No entanto, um mercado tão grande tem resiliência para se recuperar após a crise. Em 2018, o food service movimentou  R$ 176 bilhões. Ainda que neste ano o montante seja consideravelmente menor, a relevância para a economia nacional continua alta. 

Os primeiros dados são animadores. Os restaurantes brasileiros estão se recuperando mais rápido que em outros países da América Latina e até da Europa. A comparação com o restante do varejo do Brasil também é positiva. Além disso, mais da metade dos estabelecimentos conseguiu obter alguma linha de crédito nos últimos meses. 

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a Cyber Week e assine

A empresa 'do contra'

Entrevista

A empresa 'do contra'

Para Luiz Augusto Silva, country manager da operação brasileira da NotCo, startup chilena de alimentos plant based, a negação é uma ação disruptiva necessária

Por Cristina De Luca
Futuro da “experiência do restaurante” em xeque

Economia Digital

Futuro da “experiência do restaurante” em xeque

Os comerciantes recorrem à economia digital e passam a depender cada vez mais de aplicativos de delivery para manter a operação

Por Redação The Shift
As duas faces da gig economy

Economia Digital

As duas faces da gig economy

De um lado, trabalhadores informais recorrem a plataformas de delivery por necessidade. Do outro, profissionais qualificados buscam maior flexibilidade. Como garantir direitos a todos?

Por João Ortega