s

ECONOMIA DIGITAL

As duas faces da gig economy

De um lado, trabalhadores informais recorrem a plataformas de delivery por necessidade. Do outro, profissionais qualificados buscam maior flexibilidade. Como garantir direitos a todos?

Por João Ortega 29/09/2020

O mês de julho deste ano foi marcado em grandes cidades brasileiras pelo movimento “Breque dos Apps”, formado por entregadores de aplicativos. Foram uma série de paralisações nacionais reivindicando segurança, transparência, fim do ranqueamento de motoristas e maior remuneração. As manifestações marcam o ponto de fervura do complexo caldeirão da gig economy, mercado de trabalho informal da economia digital, que cresce e esquenta por conta da Covid-19 e suas implicações. 

Por um lado, houve aumento, em São Paulo, de 700% nos downloads de apps de delivery. Os gastos com iFood, Rappi e Uber Eats cresceram 95%, segundo análise dos usuários da plataforma de gestão financeira Mobills. Por outro, a crise econômica, acentuada pela pandemia levou a alta no desemprego e menor taxa de trabalhadores com carteira assinada desde 2012. Isso faz com que a informalidade se torne alternativa viável para 40 milhões de brasileiros.

A maior disponibilidade de entregadores nas plataformas leva a uma remuneração média menor. Segundo pesquisa, antes da Covid-19, metade dos gig workers recebiam ao menos R$ 520 por semana. Hoje, apenas 25% está acima desse patamar e a maior parte recebe menos de R$ 260 semanais. 

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Contagem regressiva para o Open Banking

Inovação

Contagem regressiva para o Open Banking

Dia 1° de fevereiro começa oficialmente a primeira fase do modelo concebido pelo Banco Central, que deverá estar completamente implementado até o fim do ano, aumentando a competição

Por Cristina De Luca
Carsharing cresce no Brasil, mas baixa produção freia setor

Tendências

Carsharing cresce no Brasil, mas baixa produção freia setor

Startups de compartilhamento de carros veem demanda crescer mesmo durante a pandemia

Por João Ortega
A revolução cripto está em marcha

Tendências

A revolução cripto está em marcha

Com iniciativas parrudas de regulamentação e o ingresso de mais investidores e provedores de serviços no mercado, usos concretos dos ativos digitais impulsionarão ainda mais a adoção no mundo

Por Cristina De Luca
A jornada do Magazine Luiza para digitalizar o varejo nacional

Economia Digital

A jornada do Magazine Luiza para digitalizar o varejo nacional

Entre abril de 2017 e dezembro de 2020 o Magazine Luiza comprou 15 empresas, 11 só este ano. Pagou R$ 290 milhões pela Hub Fintech, para entrar no jogo dos serviços financeiros

Por Silvia Bassi
Economias digitais avançadas administraram melhor a crise, diz WEF

Economia Digital

Economias digitais avançadas administraram melhor a crise, diz WEF

Relatório de Competitividade Global deixa se fazer o ranqueamento dos países pela primeira vez para focar nos imperativos da recuperação econômica

Por Cristina De Luca
Europa afia os dentes para pegar as Big Techs

Economia Digital

Europa afia os dentes para pegar as Big Techs

A Comissão Europeia propõe uma reforma ambiciosa do espaço digital, um conjunto abrangente de novas regras para todos os serviços digitais que atinge em cheio as chamadas gatekeepers

Por Cristina De Luca