s
Tratar o feedback como uma conversa de via dupla permite construir soluções em colaboração Crédito: Ekaterina Bolovtsova/Pexels
GESTÃO

Precisamos falar sobre feedback

O feedback vai muito além do processo organizacional e pode ser uma ferramenta poderosa para construir relações de confiança

Por Soraia Yoshida 28/03/2022

Em sua palestra “Thanks for the Feedback: The Science and Art of Receiving Feedback Well”, a professora da Harvard Law School Sheila Heen explica que em uma sessão de feedback estruturado, quem está “no comando” é quem recebe o feedback – e não quem está dando o feedback, o que contraria normalmente a visão que temos. “É o receptor que decide o que vai receber, que sentido vai fazer disso e se ou como escolhe mudar”, disse ela à plateia do Nordic Business Forum. E, nesse sentido, como uma série de outras coisas que estamos construindo no mundo do novo trabalho, pode ser uma cocriação para que aquilo que fazemos e que os outros com quem trabalhamos fazem torne o resultado melhor.

Feedback, para a autora de “Difficult Conversations” e especialista em lidar com conflitos, vai além da avaliação formal de desempenho aplicada pelas empresas. Inclui todos os feedbacks informais – falados e não falados, diretos e indiretos. Para Sheila Heen, feedback compreende todos os sinais que recebemos das pessoas ao nosso redor. “É o seu relacionamento com o mundo e o relacionamento do mundo com você”, disse.

“O feedback é um processo que não é simples. E não estou falando isso nem em função do modelo de trabalho ou da realidade que a gente vive hoje desse cenário híbrido ou remoto. Você conseguir estruturar bem um feedback talvez seja um dos grandes desafios das lideranças”, afirma Caroline Cadorin, Diretora de Recrutamento da Land, empresa do Grupo Talenses. Segundo ela, a questão não é como usá-la para fazer uma gestão de excelência. “Para você trabalhar bem com feedback, é preciso planejar, construir o cenário”.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Mudar, o maior dos desafios!

Gestão

Mudar, o maior dos desafios!

Como vamos aprender de forma contínua em nosso dia a dia? Quão abertos estamos para aprender e inovar de forma contínua?

Por Luiz Meisler *
Experiência do colaborador: precisamos olhar para EX

Tendências

Experiência do colaborador: precisamos olhar para EX

A boa ou a má experiência de um trabalhador pode influenciar sua decisão de mudar de emprego, voltar para uma empresa na qual trabalhou e a probabilidade de recomendar uma organização para outros talentos

Tolerar talentos tóxicos é mau negócio

Tendências

Tolerar talentos tóxicos é mau negócio

Uma cultura tóxica não apenas afastará bons funcionários, mas também dificultará atrair novos, minando a produtividade e as oportunidades de crescimento

CFO: novos papéis e mais possibilidades

Gestão

CFO: novos papéis e mais possibilidades

O Chief Financial Officer enfrenta um dilema: de um lado, a corrida para a transformação digital, e do outro estar aberto a novos papéis

Como incorporar o propósito a todos os níveis da organização

Liderança

Como incorporar o propósito a todos os níveis da organização

A importância de ter um propósito claro e os benefícios de tê-lo provavelmente são claros para a maioria dos líderes, diz a CEO da consultoria BrightHouse Ashley M. Grice

Mulheres na liderança: é preciso criar um pipeline nas empresas

Carreira

Mulheres na liderança: é preciso criar um pipeline nas empresas

Uma pesquisa aponta que mulheres deixam de ser promovidas para cargos de liderança porque são vistas como tendo menos potencial