s
Crédito: Nihal Demirci/Unsplash
CARREIRA

O que o balé tem a ver com gestão

Daniela Riccardi estudou dança durante 12 anos e levou a disciplina do balé para sua carreira na Procter & Gamble, Diesel, Baccarat e agora Moleskine

Daniela Riccardi sempre acreditou que viajaria o mundo como bailarina. A CEO da Moleskine, tradicional marca de papelaria de luxo italiana, estudou balé por 12 anos e chegou a pensar que ser bailarina a ajudaria a ganhar o mundo e ampliar os horizontes. Mas a possibilidade de integral a Academia Nacional de Dança de Roma parecia restritiva. “Pensei ‘quero fazer mais, não aceito essa limitação’”, conta à Vanity Fair.

Daniela Riccardi

A disciplina da dança se tornou o ethos de Daniela e a ajudou a comandar a Diesel e Baccarat, assim como se adaptar às mudanças na carreira e na vida, vivendo na Colômbia, México, China, Rússia e Brasil. A resiliência desenvolvida para lidar com o impacto físico e psicológico que fez muitos colegas abandonarem a dança (“tudo dói”), lhe serviu de reforço para consolidar sua crença de que “quando você quer algo e luta por isso, você consegue”.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Como pensar mais simples em 2021?

Gestão

Como pensar mais simples em 2021?

O importante é começar pela identificação do problema e ultrapassar nossos "pontos cegos" para analisar cenários

Por Silvia Bassi
Como tornar a sustentabilidade central para os negócios

Sustentabilidade

Como tornar a sustentabilidade central para os negócios

Uma pesquisa mostra que os Heads de Sustentabilidade das empresas adotam três abordagens distintas: assimilação, mobilização e transição. Cada abordagem é caracterizada por microestratégias distintas que os indivíduos empregam par...

Por Sarah Birrell Ivory e Brad McKay, The Conversation
O que as lideranças precisam ter (e ser) em 2021

Carreira

O que as lideranças precisam ter (e ser) em 2021

Ter conhecimento técnico é básico, o executivo precisa se sobressair com flexibilidade, criatividade e a capacidade de fazer conexões com outras indústrias

Por Soraia Yoshida