s
Estudo da Universidade de Harvard comprova que é possível transferir a felicidade para nosso trabalho Crédito: iStock
CARREIRA

Dá para ser mais feliz no trabalho?

Estudos indicam que é possível transferir a felicidade que se tem na vida privada para o mundo corporativo

Ser feliz no trabalho tem muito a ver com propósito, motivação e com saber perdoar erros – seus e dos outros. De acordo com uma pesquisa da Leadership IQ, se você é capaz de perdoar a si mesmo e não ficar remoendo tanto os erros, sua motivação aumenta em 65% em relação ao trabalho. E ainda aumenta em 40% suas chances de indicar essa mesma empresa para outras pessoas como um ótimo lugar para se trabalhar.

Naturalmente, não somos tão inclinados a perdoar: apenas 8% das pessoas têm níveis altos de “self forgiveness”, ou seja, de perdoar a si mesmo. E somente 12% fazem o mesmo em relação aos erros dos outros. Portanto, é uma habilidade que precisa ser desenvolvida com exercícios em que se pode questionar, por exemplo, esse erro é o fim da minha carreira?

Há outras abordagens. Em vez de esperar que a felicidade venha bater na sua porta, escolha um dia e o eleja como um dia especial. É basicamente isso que Lindsay Crouse defende neste artigo, em que conta como designava antecipadamente que a “quarta-feira seria a melhor noite da semana”. E era. Marcar experiências que, de outra forma, poderiam ser apenas uma noite diante da TV, é um componente da felicidade, segundo o Harvard Happiness Study, a maior e mais longa pesquisa sobre a felicidade.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Prioridades para os CDAOs

Carreira

Prioridades para os CDAOs

Chief Data and Analytics Officers precisarão se reinventar rapidamente como impulsionadores da inovação empresarial, e reformular totalmente suas estratégias de dados e análise.

O job crafting ganha protagonismo

Carreira

O job crafting ganha protagonismo

Sua prática oferece aos profissionais a oportunidade de remodelar suas funções e interações de acordo com suas habilidades, interesses, paixões e valores pessoais.

Desistir também é importante

Carreira

Desistir também é importante

Em um mundo que defende o trabalho árduo e a perseverança como chaves do sucesso, abandonar algo é difícil. Mas a desistência informada é parte importante do jogo, explica Annie Duke

Gestão de mudanças também é cultura e estratégia

Gestão

Gestão de mudanças também é cultura e estratégia

Nunca foi tão necessário repensar toda a abordagem da empresa à mudança. Entraremos em uma época na qual a capacidade de mudar se tornará central para a estratégia corporativa.

É hora de ouvir mais e agir rápido para não perder pessoas-chave

Gestão

É hora de ouvir mais e agir rápido para não perder pessoas-chave

Chegou a época do ano de fazer balanço e, de segurar aquelas pessoas que fazem a diferença na empresa. Já ouviu falar de "stay interviews"?

O que torna o feedback tão difícil?

Liderança

O que torna o feedback tão difícil?

A dor de descobrir lacunas profundas provoca fortes emoções e aciona gatilhos indesejados. Às vezes, a hesitação em aceitar essas lacunas vem das reservas que temos com a pessoa que as apontou