s
Estudo da Universidade de Harvard comprova que é possível transferir a felicidade para nosso trabalho Crédito: iStock
CARREIRA

Dá para ser mais feliz no trabalho?

Estudos indicam que é possível transferir a felicidade que se tem na vida privada para o mundo corporativo

Ser feliz no trabalho tem muito a ver com propósito, motivação e com saber perdoar erros – seus e dos outros. De acordo com uma pesquisa da Leadership IQ, se você é capaz de perdoar a si mesmo e não ficar remoendo tanto os erros, sua motivação aumenta em 65% em relação ao trabalho. E ainda aumenta em 40% suas chances de indicar essa mesma empresa para outras pessoas como um ótimo lugar para se trabalhar.

Naturalmente, não somos tão inclinados a perdoar: apenas 8% das pessoas têm níveis altos de “self forgiveness”, ou seja, de perdoar a si mesmo. E somente 12% fazem o mesmo em relação aos erros dos outros. Portanto, é uma habilidade que precisa ser desenvolvida com exercícios em que se pode questionar, por exemplo, esse erro é o fim da minha carreira?

Há outras abordagens. Em vez de esperar que a felicidade venha bater na sua porta, escolha um dia e o eleja como um dia especial. É basicamente isso que Lindsay Crouse defende neste artigo, em que conta como designava antecipadamente que a “quarta-feira seria a melhor noite da semana”. E era. Marcar experiências que, de outra forma, poderiam ser apenas uma noite diante da TV, é um componente da felicidade, segundo o Harvard Happiness Study, a maior e mais longa pesquisa sobre a felicidade.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

O fim do sistema de comando e controle

Entrevista

O fim do sistema de comando e controle

Dani Plesnik, diretora de Talent & Culture da Deloitte aposta na criação de um ambiente de trabalho emocionalmente seguro, menos hierárquico. Um espaço para conexão que viabilize o trabalho em rede. "Não é rocket science", diz ela....

Teletrabalho: adoção ignora legislação

Gestão

Teletrabalho: adoção ignora legislação

Lei 14.442/22 foi sancionada, porém, em nada favoreceu a busca das empresas por uma equação que equilibre a produtividade e o bem estar dos trabalhadores em ambiente remoto ou híbrido.

A Inteligência Cultural (CQ) é indispensável às empresas

Liderança

A Inteligência Cultural (CQ) é indispensável às empresas

Porque no ambiente de negócios de hoje, já não é aceitável apenas valorizar ou entender a própria cultura ou ponto de vista. Devemos ser pensadores estratégicos com uma visão diversa de mundo.

O desafio laboral da realidade virtual

Gestão

O desafio laboral da realidade virtual

Pesquisadores mapeiam desconfortos físicos e psicológicos que, hoje, impedem a produtividade neste ambiente. Frustração, fadiga visual, enxaqueca, náusea e ansiedade são citados.

“Quiet quitting”: um barulho ensurdecedor chega às empresas

Tendências

“Quiet quitting”: um barulho ensurdecedor chega às empresas

Movimento que defende trabalhar apenas o contratado começa no Tik Tok, invade as redes sociais e acende o sinal amarelo na área de RH: será tão perigoso quanto a "Grande Demissão?"

Trabalho flexível: startups fazem o match entre freelancers e empresas

Tendências

Trabalho flexível: startups fazem o match entre freelancers e empresa...

Marketplaces de profissionais apostam na formação de squads com profissionais independentes para acelerar o desenvolvimento dos projetos nas organizações.