s
Crédito: Mpho Mojapelo/Unsplash
CARREIRA

Dormir, sonhar… para ter boas ideias

Você dormiu o suficiente em 2019? Pelo estudo da Ipsos, que faz parte do infográfico da Raconteur mapeando o sono global, tem 55% de chances da sua resposta ser não, se você vive no Brasil

Você dormiu o suficiente em 2019? Pelo estudo da Ipsos, que faz parte do gigantesco infográfico da Raconteur mapeando o sono global, tem 55% de chances da sua resposta ser não, se você vive no Brasil. Só 45% dos brasileiros disseram ter uma boa noite de sono, um pouco menos que a média global (49%) e muito menos que os indianos, que foram os campeões no ranking com 69% de respostas positivas.

E por que isso é tão importante? Porque segundo um artigo publicado no blog do World Economic Forum (WEF), uma boa noite de sono "lava seu cérebro" das toxinas acumuladas no dia, deixando-o pronto para ter novas ideias. A falta de sono causa mais problemas do que pensamos, a ponto de empresas como o Google, por exemplo, terem um "consultor de sono", nesse caso o professor Matthew Walker, um neurocientista da UC Berkeley, autor do livro Why We Sleep: The New Science of Sleep and Dreams, que virou best-seller desde 2017 por conta das descobertas de Walker ligando sono a um grande número de doenças, entre elas depressão, problemas cardíacos e Alzheimer. Walker não negocia: dorme das 22h30 às 6h30 todos os dias.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

B.NOUS: soft skills para estar pronto para o futuro

Carreira

B.NOUS: soft skills para estar pronto para o futuro

As soft skills são fundamentais, mas as empresas ainda tem dificuldades em fomentá-las. A B.NOUS cria trilhas personalizadas de aprendizagem para reduzir as barreiras dessa jornada.

Habilidades socioemocionais preparam as empresas para o futuro

Entrevista

Habilidades socioemocionais preparam as empresas para o futuro

Filip De Fruyt, Professor da Universidade de Ghent, na Bélgica e membro do conselho científico do eduLab 21, do Instituto Ayrton Senna, explica, em entrevista exclusiva à THE SHIFT, que perfis profissionais estão mais aptos a enfrentar...

O lado obscuro do trabalho remoto 

Carreira

O lado obscuro do trabalho remoto 

Falta de horário fixo, dispersão, procrastinação, isolamento social, menos engajamento, ansiedade e depressão são alguns dos efeitos que estão comprometendo a saúde mental dos profissionais

“Quiet quitting”: um barulho ensurdecedor chega às empresas

Tendências

“Quiet quitting”: um barulho ensurdecedor chega às empresas

Movimento que defende trabalhar apenas o contratado começa no Tik Tok, invade as redes sociais e acende o sinal amarelo na área de RH: será tão perigoso quanto a "Grande Demissão?"

Lugar de mulher também é no metaverso

Inovação

Lugar de mulher também é no metaverso

Número de profissionais envolvidas com os mundos virtuais cresce globalmente. Empresas como a Meta, a Sandbox e a agência de NFT World of Women apostam na formação tecnológica feminina

Quando os atributos são mais relevantes que as habilidades

Tendências

Quando os atributos são mais relevantes que as habilidades

E por que compreender a diferença entre os dois é um passo crítico para otimizar seu desempenho em tempos desafiadores, segundo os profissionais de RH