s
A mensagem geral da conferência COP26 para os negócios: quem não adotar práticas mais sustentáveis não vai ver a cor do dinheiro Crédito: Colin Mearnes
TENDÊNCIAS

COP dos Negócios: o que muda para as empresas

Após a Conferência do Clima em Glasgow, as empresas estão diante mudanças no uso de combustíveis fósseis, projetos em florestas, emissões de gases de efeito estufa

Por Soraia Yoshida 22/11/2021

A discussão sobre se a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, mais conhecida como COP26, representou um avanço ou um fracasso ainda está sendo debatida nas letras miúdas de acordos assinados por governos. Mas há uma certa unanimidade quando se olha para a participação das organizações privadas e instituições que mesmo não presas por obrigações, saíram na frente para reivindicar regras mais claras para o mercado de carbono, metas mais ousadas para diminuição de emissões e agendas mais verdes e sociais para os negócios e a cadeia produtiva.

“Houve alguns desenvolvimentos decididamente positivos: pela primeira vez, a natureza está firmemente na agenda do clima. O papel crítico de atingir a meta de 1,5°C agora está embutido nas negociações. O evento reconheceu e avançou o papel das comunidades indígenas e locais. Forneceu um livro de regras para a cooperação internacional por meio dos mercados de carbono. E reconheceu formalmente a necessidade de acabar com os combustíveis fósseis, mesmo que não oferecesse um plano decisivo para isso”, escreveu Joel Makower, CEO e cofundador do GreenBiz Group, que conecta empresas para a transição para uma economia verde. Em seu blog, ele destaca as razões que fizeram desta conferência a “COP dos negócios”.

Entre os motivos o fato de que mais de mais de 40 empresas assinaram o Net Zero Carbon Buildings Commitment, comprometendo-se a tomar mais medidas para descarbonizar construções e ambientes corporativos em seus portfólios e atividades de negócios, representando uma receita anual de US$ 85 bilhões. Ao final da década, a expectativa é que essas empresas terão atingido alguns objetivos claros:

  • Reduzir todas as emissões operacionais de edifícios novos e existentes
  • Alcançar reduções máximas no carbono incorporado para novos desenvolvimentos e grandes renovações sobre as quais têm controle direto
  • Compensar quaisquer emissões residuais operacionais e incorporadas que não possam ser mitigadas
  • Advogar por reduções de emissões mais amplas por meio de suas atividades de negócios e relatar seu impacto, para permitir e acelerar a transição de todo o setor para net zero.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

3 tecnologias para resolver o desafio da energia renovável

Sustentabilidade

3 tecnologias para resolver o desafio da energia renovável

Os cientistas estão trabalhando para desenvolver técnicas de reciclagem de baterias de lítio e cobalto e para projetar baterias baseadas em outros materiais

Por Kerry Rippy, The Conversation
Como descarbonizar o transporte pesado

Inovação

Como descarbonizar o transporte pesado

O transporte de cargas pesadas constitui apenas 1% da frota, mas é responsável por 25% das emissões rodoviárias globais

Por Amina Hamidi e Enrique Meroño, World Economic Forum
Como tornar a sustentabilidade central para os negócios

Sustentabilidade

Como tornar a sustentabilidade central para os negócios

Uma pesquisa mostra que os Heads de Sustentabilidade das empresas adotam três abordagens distintas: assimilação, mobilização e transição. Cada abordagem é caracterizada por microestratégias distintas que os indivíduos empregam par...

Por Sarah Birrell Ivory e Brad McKay, The Conversation
Crise climática: Brasil tem muito a contribuir, mas precisa correr

Entrevista

Crise climática: Brasil tem muito a contribuir, mas precisa correr

Após a divulgação da primeira parte do relatório do IPCC, The Shift foi conversar com o físico Paulo Artaxo e o biólogo Carlos Joly para entender o que o Brasil pode fazer para contribuir mais para a redução das emissões

Por Soraia Yoshida
IA pode ajudar negócios a cortar 16% das emissões até 2025

Inteligência Artificial

IA pode ajudar negócios a cortar 16% das emissões até 2025

A IA pode ser empregada para programar uma linha de produção com a diretiva de reduzir ao máximo as emissões diretas

Por Redação The Shift
Mercado de hidrogênio: uma oportunidade para investidores no Brasil

Inovação

Mercado de hidrogênio: uma oportunidade para investidores no Brasil

A indústria de hidrogênio está em desenvolvimento, então, quem investir nesse momento pode maximizar os lucros no futuro

Por Marina Hortélio