s
Créditos: Unsplash/National Cancer Institute
INOVAÇÃO

Como as Healthtechs estão mudando a cara dos planos de saúde

As startups apostam em um modelo que alinha a atenção primária à tecnologia para promover a saúde entre os beneficiários do seus planos.

A Healthtech de gestão de saúde Alice tomou as manchetes em dezembro ao anunciar um Series C de US$ 127 milhões. A bolada fez a empresa ficar entre os 10 maiores aportes em startups da América Latina no último trimestre de 2021, segundo o CBInsights. O investimento chama a atenção para o grupo de Healthtechs focadas em transformar o segmento das operadoras de saúde - um setor dominado por empresas gigantes e ainda ineficiente. Ao aplicar uma estratégia baseada na atenção primária e na tecnologia, essas startups buscam oferecer um atendimento mais completo e centrado no paciente. O resultado é a promoção da saúde, não só a cura da doença.

Um ponto chave para as startups de plano de saúde é a capacidade de oferecer um atendimento mais completo com o acompanhamento de um médico da família ou um time de saúde. No modelo, as consultas com especialistas e os exames partem da equipe de profissionais focados na atenção primária.

De acordo com a OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde), a atenção primária à saúde é, geralmente, o primeiro ponto de contato com o sistema, oferecendo um atendimento abrangente, acessível e baseado na comunidade, que pode atender de 80% a 90% das necessidades de saúde de uma pessoa ao longo da vida. O conceito se baseia no cuidado e não apenas no tratamento de doenças ou condições específicas.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Nem sempre a IA funciona. Por que?

Inteligência Artificial

Nem sempre a IA funciona. Por que?

É possível resumir o que a inteligência de máquina faz muito bem com três Ps: padrões, probabilidades e performance. O problema é a falta de compreensão das características básicas do problema de negócios.

Após regulamentação, startups inovam na telemedicina veterinária

Tendências

Após regulamentação, startups inovam na telemedicina veterinária

O atendimento remoto já era praticado, mas regulamentação deve fazer o modelo evoluir. Novas oportunidades de negócio foram criadas.

Simple2u: como a MAG enfrenta a transformação dos seguros

Entrevista

Simple2u: como a MAG enfrenta a transformação dos seguros

Em entrevista exclusiva à THE SHIFT, Leonardo Lourenço, Head Geral da Simple2u, conta como a insurtech criada dentro do sandbox regulatório da Susep, repensa o segmento.

A economia espacial vai crescer e gerar mais inovação na Terra

Inovação

A economia espacial vai crescer e gerar mais inovação na Terra

O ex-CTO da NASA e CEO da Space Tech Astra, Chris Kemp, acredita que é necessário criar uma economia espacial aberta, na qual colaborações inventivas a tornem livre e competitiva.

Por Linda Lacina | Fórum Econômico Mundial
Energia perdida no ar para a Indústria 4.0

Internet das Coisas

Energia perdida no ar para a Indústria 4.0

Deep tech brasileira criou um método para reciclar ondas eletromagnéticas dispersas no ar como fonte de energia para dispositivos IoT. A solução se encaixa na crescente digitalização da Economia.

O desafio laboral da realidade virtual

Gestão

O desafio laboral da realidade virtual

Pesquisadores mapeiam desconfortos físicos e psicológicos que, hoje, impedem a produtividade neste ambiente. Frustração, fadiga visual, enxaqueca, náusea e ansiedade são citados.