s
Os atentados de 11 de setembro mudaram drasticamente a indústria de aviação Unsplash/VOO QQQ
SEGURANÇA

Aviação após o 11 de setembro: novas regras e mais tecnologia

O atentado terrorista contra os EUA mudou a experiência de viajar, com a adoção de novos protocolos como scanners de passageiros e o reforço da identificação dos viajantes antes do embarque

Quem viajou para os Estados Unidos antes do 11 de setembro, consegue perceber uma grande diferença entre os atuais procedimentos de segurança dos aeroportos e aqueles que eram aplicados antes dos ataques de 2001 às Torres Gêmeas. No atentado, terroristas sequestraram 4 aviões, o que reverberou na intensificação do controle de passageiros nos terminais e aeronaves em todo o mundo. As mudanças fizeram o governo federal dos EUA gastar mais de US$ 62 bilhões em segurança aeroportuária na primeira década após o ataque.

O diretor de segurança da aviação e cibernética da Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA), Matthew Vaughan, afirmou ao South China Morning Post que as regras globais da aviação foram revisadas oito vezes desde 2001 para garantir que os protocolos de segurança sejam relevantes nas áreas que precisam ser protegidas.

Novos equipamentos de segurança foram adicionados aos aeroportos, alguns logo após o ataque e outros anos depois. Um deles é o scanner de ondas milimétricas, que escaneia todo o corpo dos passageiros para detectar possíveis objetos escondidos sob a roupa. O dispositivo foi adicionado ao processo de embarque em 2010, após um homem-bomba que fracassou em um ataque ser apreendido em um voo.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Quando o bootstrapping vale a pena

Startups

Quando o bootstrapping vale a pena

Crescer a empresa com capital próprio é arriscado, mas dá mais liberdade para os fundadores e mantém o Equity intacto.

Por Marina Hortélio
Eles apostam alto no fruit-based

Entrevista

Eles apostam alto no fruit-based

Le Mendes e Pedro Ian estão emprenhados em transformar a Fábrica Meatz em uma das maiores foodtechs brasileiras, com produtos disruptivos e inéditos, como a recém-lançada carne louca de jaca

A Black Friday é a hora de colher os frutos das estratégias de IA

Inteligência Artificial

A Black Friday é a hora de colher os frutos das estratégias de IA

A inteligência artificial ajuda a oferecer uma melhor experiência para o consumidor por permitir que a marca conheça a fundo o cliente. Assim, as empresas se destacam da concorrência na Black Friday.

Por Marina Hortélio
Tendência do consumo híbrido exige estratégia omnichannel

Tendências

Tendência do consumo híbrido exige estratégia omnichannel

Pesquisa do PayPal aponta que as compras online vão continuar relevantes após a pandemia, por isso, as marcas precisam adotar uma estratégia multicanal

Por Marina Hortélio
10 principais tecnologias emergentes de 2021 da WEF

Inovação

10 principais tecnologias emergentes de 2021 da WEF

A edição do 10º aniversário do Relatório das 10 principais tecnologias emergentes do Fórum Econômico Mundial lista as novas tecnologias que devem impactar o mundo nos próximos três a cinco anos

Por Mariette DiChristina e Bernard Meyerson, Fórum Econômico Mundial
Como reconstruir a lealdade dos funcionários na era da Grande Renúncia

Carreira

Como reconstruir a lealdade dos funcionários na era da Grande Renúnc...

Uma nova pesquisa revela como as pessoas se sentem em relação a seus empregos e o que esperam de seus empregadores

Por Ana Kreacic, Lucia Uribe, Simon Luong, Fórum Econômico Mundial