s
TRANSFORMAÇÃO DIGITAL SEM TRAVAS

A regra é fazer mais com menos. Será que isso vale para a TI?

Usar o máximo de seus recursos não é esgotar a equipe nem fazer entregas inacabadas. É enxergar a arquitetura de sistemas e a de dados de forma ampla e profunda, de modo a tornar a TI uma alavanca de eficiência organizacional

Realizar entregas com qualidade não é uma tarefa minimalista. Apesar disso, o discurso de “fazer mais com menos” (a conhecida pressão por resultados no curto prazo) ressoa em muitos espaços de alto comando. E tem um peso especialmente grande sobre a TI.

Faz sentido pensar em entregas maiores com recursos menores?

A resposta é sim, desde que tenhamos um entendimento claro do cenário. E, para isso, é preciso definir mais precisamente esse “mais com menos”. No caso da TI, esse conceito deve se traduzir em duas frentes: eficiência dos processos de negócios e estabelecimento de prioridades.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Mais Sergio Lozinsky