s
Linha de produção de smartphones em fábrica da Vingroup, maior grupo do Vietnã Crédito: Vingroup

MERCADO

O efeito colateral no mercado de smartphones

A expectativa dos fabricantes é de queda de 14,6% nas remessas deste ano, mas um relatório indica que a situação poderia ser muito pior. A salvação pode estar no 5G

Por Redação The Shift 27/05/2020

A combinação da “travada chinesa” no início do ano, com a crise econômica global causada pela Covid-19, gerou um paradoxo no mercado de smartphones: embora o uso dos dispositivos tenha crescido muito no primeiro trimestre em todos os países, as remessas mundiais de novos aparelhos caíram 11,7% no primeiro trimestre de 2020, segundo um novo relatório do IDC, configurando a maior taxa de queda por trimestre desde o Q2 de 2013.

Infographic: Smartphone Shipments Drop to 7-Year Low in Q1 2020 | Statista

You will find more infographics at Statista

Receba grátis nossa newsletter

Foram 275,8 milhões de unidades “shipadas” nos primeiros três meses de 2020, contra 312,3 milhões em 2019. “O que começou como um problema de cadeia de suprimentos limitado à China tornou-se um problema global por causa da crise econômica nos outros países”, diz a diretora de pesquisas do IDC, Nabila Popal, responsável pelo relatório.

Um relatório liberado nesta terça-feira pelo Gartner estima que as remessas globais somadas de computadores, smartphones e tablets vão cair 13,6% este ano, e que a queda global em 2020 nos smartphones será de 14,6%. Mas o Gartner diz que se não fosse a pandemia, o tombo poderia ser pior. O relatório estima que as vendas só não cairão mais porque a quarentena global levou a um aumento do uso dos dispositivos de forma geral, especialmente para trabalho em home office. Serão 1,9 bilhão de equipamentos vendidos em 2020, contra a estimativa anterior de 2,16 bilhões, segundo o Gartner.

O 5G pode ser um catalizador de mudança: vai representar 11% de todas as vendas em 2020, mas pode puxar para cima o interesse dos consumidores em mudar de aparelho para ter melhores conexões. E só para completar o contexto, um colateral do home office no tipo de conexão: os usuários estão jogando o tráfego de dados, voz e vídeo para suas redes Wi-Fi domésticas, reduzindo o uso de redes móveis de dados em casa.

O que acontece se a China tirar a carne do menu?

Tendências

O que acontece se a China tirar a carne do menu?

Cafés e restaurantes chineses estão usando proteínas alternativas à base de plantas, provenientes da China, Coreia e dos Estados Unidos em pratos tradicionalmente à base de carne

Por Redação The Shift
O que está em jogo na ação antitruste da China contra o Alibaba

Mercado

O que está em jogo na ação antitruste da China contra o Alibaba

Além da motivação mais clara de regular monopólio do e-commerce, Partido Comunista quer tornar o caso de Jack Ma um exemplo para outros líderes

Por Redação The Shift
“A Amazon é uma empresa feita para a pandemia”

Tendências

“A Amazon é uma empresa feita para a pandemia”

Para Scott Galloway, professor de Marketing da Universidade de Nova York, o governo deveria "partir" as big techs

Por Redação The Shift
O boom do mercado de games

Mercado

O boom do mercado de games

Em 50 anos de história, o mercado de jogos passou por uma transformação que o tirou do setor de brinquedos para produtos eletrônicos e mais recente, para o ambiente digital

Por Redação The Shift
Nos negócios, pivotar é sobreviver

Startups

Nos negócios, pivotar é sobreviver

Apple, Samsung, Sony, Nintendo e Facebook têm algo em comum: todas tiveram que pivotar para garantir que seu negócio daria certo

Por Redação The Shift
Varejo se prepara para a Black Friday em plena pandemia

Mercado

Varejo se prepara para a Black Friday em plena pandemia

Além do evento que nasceu nos EUA, o Dia dos Solteiros, criado pela chinesa Alibaba, também vai movimentar o setor em novembro

Por Redação The Shift