s
Crédito: Shutterstock

INOVAÇÃO

Eles fazem valer o direito de ser esquecido

O objetivo da israelense Mine é nos tornar cientes da nossa pegada digital e gestores das informações aa nossa respeito que circulam na Internet

Por Redação The Shift 22/01/2020

Com a missão de criar um padrão global de privacidade, onde as pessoas possam tomar decisões informadas sobre onde devem estar seus dados pessoais enquanto desfrutam dos benefícios da Internet, a Mine, empresa israelense fundada por três empreendedores, investidores e geeks, como eles gostam de se auto-referir, acaba de abrir as portas no Reino Unido. E já se prepara para iniciar atividades também nos Estados Unidos.

Estamos iniciando o futuro da propriedade de dados”, afirma Gal Ringel, co-fundador e CEO da startup, que já levantou 2,7 milhões de euros há dois anos, e uma rodada liderada pela Battery Ventures. Em outubro do ano passado, a empresa foi escolhida pela gigante da tecnologia Intel como uma das 160 startups a ingressar no esquema de aceleração “Ignite”, um programa de 20 semanas que oferece orientação prática a startups pré-semente.

O aplicativo Mine funciona usando o que a empresa chama de algoritmos de aprendizado de máquina “não intrusivos”, que eliminam mensagens indesejadas das caixas postais. Os usuários recebem uma lista de empresas que atualmente mantêm suas informações pessoais e podem enviar um email solicitando que seus dados sejam excluídos com apenas um clique.

Receba nossa newsletter

A ideia é tornar todos os usuários cientes de sua pegada digital e permitir que exercitem seu ‘direito a ser esquecido’. A EU-Startups relata que a Mine analisou quatro milhões de serviços digitais até o momento para determinar quais dados pessoais estão sendo armazenados.

Acredite, localização garante privacidade

Entrevista

Acredite, localização garante privacidade

André Ferraz, fundador da In Loco, garante que dá para usar tecnologias de localização com ética e proteger a privacidade dos usuários

Por Cristina De Luca
Tempos virtuais e incertos. Será?

Entrevista

Tempos virtuais e incertos. Será?

Uma conversa com a futurista Daniela Klaiman e com o professor Silvio Meira, cientista-chefe na The Digital Strategy Company, sobre os novos tempos.

Por Cristina De Luca
Privacidade é aposta da Blackberry para voltar

Mobile

Privacidade é aposta da Blackberry para voltar

A ascensão e queda da Blackberry no mercado de smartphones pode ser vista como uma uma parábola sobre como as empresas estabelecidas podem simplesmente desaparecer

Por Redação The Shift