s
A pesquisadora Pardis Sabeti, que trabalha com dados para o sistema Sentinel, de detecção e alerta contra ameaças virais Crédito: Reprodução/YouTube
SEGURANÇA

Como detectar a próxima ameaça viral

Conheça o Sentinel, um sistema que detecta e faz o tracking de ameaças virais em tempo real - e que poderia avisar antecipadamente sobre o risco e permitir uma reação rápida de governos

Quando apresentaram em janeiro o projeto Sentinel, um sistema de alerta em tempo real capaz de detectar e rastrear um vírus antes que ele se espalhasse a ponto de tornar-se uma pandemia, os pesquisadores de doenças infecciosas, Pardis Sabeti e Christian Happi, ainda podiam manter proximidade no palco da TED.

O Sentinel, que faz parte da iniciativa Audacious Project, do TED, para investir em projetos de impacto global, prevê o uso de tecnologias disruptivas de edição genética, como CRISPR, para literalmente diagnosticar qualquer tipo de vírus, mesmo desconhecido, e de coisas muito simples, como tiras de papel que podem ser usadas pelos profissionais de saúde para testar uma pessoa em uma hora.

Sentinel se apoia em 3 pilares: Detect, Connect, Empower. O que basicamente quer dizer não só detectar o problema mas também disseminar rapidamente as descobertas por todas as redes de saúde, hospitais e países usando tecnologias de cloud e mobilidade, e treinar um contingente gigante de profissionais de saúde para atacar qualquer crise.

CADASTRE-SE GRÁTIS PARA ACESSAR 5 CONTEÚDOS MENSAIS

Já recebe a newsletter? Ative seu acesso

Ao cadastrar-se você declara que está de acordo
com nossos Termos de Uso e Privacidade.

Cadastrar

O problema: o tempo para chegar a tudo isso, na expectativa dos dois cientistas, em janeiro, era de cinco anos. Nesse vídeo, ambos são entrevistados no início de abril, agora já no meio da pandemia, e contam como estão acelerando o Sentinel na África. Vale assistir também a apresentação de Pardis no TEDWomen 2015, explicando como brigar contra um vírus mortal, da sua experiência de ter combatido o outbreak de Ebola na África em 2014.

 

Alimentos digitais: “Em se plantando, tudo dá”

FoodTech

Alimentos digitais: “Em se plantando, tudo dá”

Entre as megatrends de proteínas alternativas, apontadas pelo DigitalFoodLab, a agricultura molecular está em ascensão.

Do Deepfake ao ChatGPT: como a IA impulsiona fraudes e golpes

Segurança

Do Deepfake ao ChatGPT: como a IA impulsiona fraudes e golpes

Foi-se a época em que a ortografia e a gramática inadequadas eram indicadores de um possível golpe. Há necessidade urgente de soluções inovadoras.

Por Cassiano Cavalcanti *
Como está a indústria de proteína alternativa?

FoodTech

Como está a indústria de proteína alternativa?

Relatórios do GFI mostram avanços da indústria de proteína alternativa. E revelam as razões dessa indústria ainda enfrentar dificuldades para se inserir na mesa dos consumidores.

Há luz no fim do túnel FoodTech

FoodTech

Há luz no fim do túnel FoodTech

Só 59 foodTechs globais atingiram o status de unicórnio em 2023. Há retração de investimentos. Mas também há campos promissores para VCs, capazes de disruptar até a pizza.

Por Cristina De Luca e Silvia Bassi
O mapa da mina na biotecnologia

Biotech

O mapa da mina na biotecnologia

Há uma tendência de crescimento do mercado de biotecnologia em 2024 após o reconhecimento de uma redefinição nos últimos 18 meses. A convergência com healthcare impulsiona os negócios.

Agrifoodtechs avançam na América Latina

Biotech

Agrifoodtechs avançam na América Latina

Investimentos no setor agroalimentar cresceram nos últimos dois anos, segundo relatório da AgFunder, com destaque para segmentos como proteínas alternativas e agricultura interna.