s
A dependência do trabalho é uma condição clínica caracterizada por um interesse obsessivo e compulsivo pelo trabalho Crédito: Shutterstock

CARREIRA

Quando o trabalho pode afetar a saúde mental

Pesquisas mostram que o workaholism, conhecido também como vício no trabalho, é um problema crescente no mundo industrializado e afeta a saúde mental dos trabalhadores e seu desempenho

Por Teena J Clouston, The Conversation 20/02/2021

Como cultura, passamos a valorizar o crescimento e a produtividade, tornando o trabalho remunerado não apenas uma necessidade, mas uma preocupação central na vida das pessoas. No entanto, essa atitude em relação ao trabalho está nos prejudicando mais do que ajudando, com pesquisas mostrando que o workaholism (também conhecido como vício no trabalho) é um problema crescente no mundo industrializado. E de acordo com as descobertas de um estudo recente, o vício no trabalho está relacionado a uma pior saúde mental.

A dependência do trabalho é uma condição clínica caracterizada por um interesse obsessivo e compulsivo pelo trabalho. As pessoas geralmente trabalham mais do que precisam, seja pelo empregador ou por necessidade financeira. Outras características incluem a preocupação com seu desempenho no trabalho, pensamento rígido e perfeccionismo, que muitas vezes é projetado nos outros.

Pessoas viciadas em trabalho são levadas a trabalhar excessivamente, apesar dos impactos prejudiciais causados em sua saúde e bem-estar pessoal e em seus relacionamentos. Pessoas com risco de desenvolver dependência no trabalho geralmente apresentam baixa auto-estima, têm dúvidas sobre seu desempenho no trabalho ou apresentam traços de personalidade obsessivo-compulsivos.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

86% preferem confiar seus problemas a um robô

Inteligência Artificial

86% preferem confiar seus problemas a um robô

Pesquisa da Oracle [email protected] Study 2020 destaca que as pessoas acreditam que um robô pode apoiar melhor sua saúde mental, pois máquina não julga como os humanos

Por Soraia Yoshida
CEO do Gympass prevê futuro híbrido digital e offline para o bem-estar

Entrevista

CEO do Gympass prevê futuro híbrido digital e offline para o bem-est...

Priscila Siqueira lidera o “unicórnio das academias” no Brasil e revela, em entrevista exclusiva, como a startup pivotou para uma plataforma digital durante a pandemia

Por João Ortega
“Psicólogo será a profissão do futuro”, prevê CEO da Vittude

Entrevista

“Psicólogo será a profissão do futuro”, prevê CEO da Vittude

Em 2020, a startup viu seus planos corporativos crescerem 800%, apesar de muitas organizações ainda não terem despertado para a importância da educação emocional, segundo Tatiana Pimenta

Por João Ortega