s
As organizações estão repensando como seus produtos são projetados e usados, olhando para requisitos de desempenho e qualidade que façam uso de menos recursos no ciclo de vida de tudo o que é produzido Crédito: Antoni Shkraba/Pexels
SUSTENTABILIDADE

Produto mais sustentável? Comece pelo design

A fase de projeto é onde as empresas deveriam focar para endereçar a pegada de carbono em recursos de produtos e serviços

Até 80% das emissões ao longo da vida de um produto são determinadas por decisões tomadas quando o produto ainda está na fase de projeto. Como parte dos esforços para tornar a cadeia de produção mais sustentável, as organizações estão repensando como seus produtos são projetados e usados – olhando para requisitos de desempenho e qualidade que façam uso de menos recursos no ciclo de vida de tudo o que é produzido.

A tecnologia está empurrando o design para a agenda de sustentabilidade. O white paper “Product sustainability: Back to the drawing board”, da McKinsey, aponta que a fase de projeto é onde as empresas deveriam focar para endereçar a pegada de carbono em recursos de produtos e serviços. “As empresas sabem há muito tempo que as decisões de projeto determinam a maior parte dos custos de fabricação, operação e manutenção de um produto. A mesma lógica se aplica à sustentabilidade. Nossa análise sugere que, embora a P&D represente 5% ou menos do custo total de um produto, ela influencia até 80% da pegada de recursos desse produto”, escrevem Stephan Fuchs, Stephan Mohr, Malin Orebäck e Jan Rys.

O paper aponta que “as mudanças técnicas projetadas para promover uma operação eficiente tendem a envolver uma complexidade adicional do produto”. O melhor exemplo dessa mudança estaria na transição dos motores de combustão interna para a propulsão elétrica, que está reformulando em grande parte a cadeia de produção, o perfil de emissões do ciclo de vida dos veículos de passageiros e a maneira como as pessoas vão perceber a mobilidade daqui para frente. Um estudo mostrou que cerca de 20% do carbono gerado por um veículo a diesel vem de sua produção, com a maior parte dos 80% restantes emitidos pelo escapamento. Um carro elétrico equivalente, por outro lado, produzia menos emissões na fase de uso, mas exigia materiais adicionais com alto teor de carbono na bateria. Se a eletricidade para o veículo viesse de combustíveis fósseis, a participação da produção nas emissões ao longo da vida aumentaria para 45%. Se o veículo fosse carregado usando apenas energia renovável, as emissões de produção seriam responsáveis ​​por 85% do total.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

A métrica perdida do Net Zero

Tendências

A métrica perdida do Net Zero

Um estudo do BCG indica que 91% das empresas não consegue medir suas emissões de CO2, e quase metade delas admite errar em até 40% as métricas

Por Silvia Bassi
Chegou a hora de rever o conceito de inovação bem-sucedida

Inovação

Chegou a hora de rever o conceito de inovação bem-sucedida

O ponto ideal de inovação deveria ser o Santo Graal de todas as empresas. Para aquelas que já os perseguem, há um novo critério: a integridade do produto ou serviço inovador

Por Redação The Shift
Como descarbonizar o transporte pesado

Inovação

Como descarbonizar o transporte pesado

O transporte de cargas pesadas constitui apenas 1% da frota, mas é responsável por 25% das emissões rodoviárias globais

Por Amina Hamidi e Enrique Meroño, World Economic Forum
Como saber se o seu modelo de negócio é sustentável

Sustentabilidade

Como saber se o seu modelo de negócio é sustentável

Após analisar mais de 100 modelos de negócios por meio dos quais as empresas agregaram valor comercial e benefícios ambientais e sociais, a BCG propõe uma análise

Por Redação The Shift
Como tornar a sustentabilidade central para os negócios

Sustentabilidade

Como tornar a sustentabilidade central para os negócios

Uma pesquisa mostra que os Heads de Sustentabilidade das empresas adotam três abordagens distintas: assimilação, mobilização e transição. Cada abordagem é caracterizada por microestratégias distintas que os indivíduos empregam par...

Por Sarah Birrell Ivory e Brad McKay, The Conversation
COP dos Negócios: o que muda para as empresas

Tendências

COP dos Negócios: o que muda para as empresas

Após a Conferência do Clima em Glasgow, as empresas estão diante mudanças no uso de combustíveis fósseis, projetos em florestas, emissões de gases de efeito estufa