s
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

O negócio do BizOps? Alinhar estratégia e execução orientado por dados

A função não existe sem fluência de dados, para melhorar a tomada de decisão e otimizar processos

Qual é a responsabilidade do BizOps? O que deve entregar? A quem? Você seria capaz de responder a essas perguntas sem pestanejar? Provavelmente não. Muita gente se refere ao BizOps como uma equipe SWAT interna que aplica estratégia e análise de negócios para melhorar processos que geram receita. Há ainda quem prefira olhar como uma estrutura conceitual para alinhar negócios e tecnologia. A investidora Vessela H. Ignatova vai além e a define como a cola entre a realidade e o planejamento de uma empresa. Portanto, a turma que ajuda a conduzir os recursos certos para a direção certa , na quantidade certa e por meio das ferramentas certas. E não dá para fazer isso sem assumir três responsabilidades:

1 - Data & Market Intelligence: o balcão único de dados e inteligência de mercado para o negócio. O que inclui monitoramento de dados internos e pesquisa de mercado externa.

  • O objetivo é medir as principais métricas em toda a empresa e garantir  acesso consistente aos dados, em tempo real.
  • Para quem? Toda a empresa. Acesso sob demanda a qualquer pessoa na organização.

2 - Business Analytics & Performance: alinhar a estratégia e execução, e manter a empresa responsável. Isso inclui monitorar e conduzir análises de desempenho da empresa (marketing, vendas, parcerias, canais... todos GTM) com base em dados e direcionar a estratégia com OKRs.

  • O objetivo é comunicar e alinhar a empresa em torno de um objetivo estratégico comum.
  • Para quem? Toda a empresa!

3 - Expansão e Escala de Negócios: demonstrar riscos, trade-offs e priorizar projetos de expansão e escala. Isso inclui expansão em regiões geográficas, linhas de produtos, verticais, M&A; potenciais mudanças nos fundamentos do negócio (preço ou modelo de negócio, etc); e implementação de ferramentas em toda a empresa.

  • O objetivo é fornecer argumentos/recomendações baseadas em dados — em um pacote — para produtos, finanças e a gerência de operações para facilitar a tomada de decisões informadas. Esses departamentos, por sua vez, podem usar isso como insumos para seus próprios modelos e estruturas.
  • Para quem? Departamentos específicos, por projeto.

Portanto, na sua concepção, não existe BizOps sem fluência de dados. Se a empresa é o corpo humano e os fundadores são o cérebro e o coração do corpo, o BizOps é o sistema neural. As diferentes funções (engenharia, finanças, BizDev, etc.) são os músculos que o corpo precisa desenvolver e o BizOps é responsável por garantir que o corpo construa e mantenha os músculos necessários para engatinhar, andar e, até, correr. Em outras palavras, "o BizOps existe para desenvolver o domínio da linguagem dos dados na organização". "Isso é especialmente importante em uma empresa que se esforça para ser não hierárquica e incentiva as ideias a virem de todas as direções e de todos os níveis", argumenta Yael Cohen, VP da Lemonade.

O mercado parece concordar. Em uma análise de mais de 50 descrições para cargos de BizOps, feita pela Abacum, 100% mencionavam a definição de métricas (OKRs e KPIs), 58% iniciativas para “centralizar dados” ou “padronizar e distribuir métricas”, e 92% das funções juniores, especificamente SQL ou consulta de dados. Preferencialmente, experiências em modelagem avançada, análise de dados e ferramentas de visualização.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Você está aproveitando ao máximo o seu relacionamento com a IA?

Inteligência Artificial

Você está aproveitando ao máximo o seu relacionamento com a IA?

Para obter retornos da IA, organizações precisam de um relacionamento multidimensional com a tecnologia, que passa pelo valor individual do seu uso percebido por cada funcionário

Inteligência Artificial

"Temos o dever de nos preocupar"

Em entrevista à The Shift, Reggie Townsend, diretor da prática de ética em dados do SAS, fala sobre o imperativo da ética para a IA e sobre ter um "viés positivo" nas aplicações de impacto.

É real: dados e IA turbinam vendas

Inteligência Artificial

É real: dados e IA turbinam vendas

Não faltam exemplos, em diferentes pontos do processo, como mostram os cases das startups Nubimetrics, RelevanC e Retargetly

Bancos devem inovar mais para continuarem competitivos

Tendências

Bancos devem inovar mais para continuarem competitivos

Principalmente explorar oportunidades para aumentar os recursos de pagamentos por meio de DLTs, CDBCs, tokenização e outras soluções

Os principais desafios das auditorias de IA

Inteligência Artificial

Os principais desafios das auditorias de IA

Auditar os sistemas e até a governança da IA é uma grande ambição, mas existem alguns obstáculos enormes

Com IA, lawtechs e legaltechs ajudam as empresas a fechar acordos judiciais

Inteligência Artificial

Com IA, lawtechs e legaltechs ajudam as empresas a fechar acordos judi...

Usar inteligência artificial para analisar os processos dá visibilidade às ações enfrentadas e indica quando vale seguir para uma solução por meio de acordo.