s
Consumidores esperam que as marcas que apoiam e de quem compram e falam bem nas redes sociais não sejam apenas fabricantes e varejistas, mas contribuintes ativos para a sociedade Crédito: Reprodução/YouTube
TENDÊNCIAS

Não é só vender: marcas precisam ter um papel ativo na sociedade

Quanto mais uma marca escolher seus campos de atuação e se comunicar com seus consumidores tão logo os debates surgem, mais será vista como autêntica

Por Redação The Shift 06/12/2021

Se há uma coisa que a economia comportamental nos mostrou nos últimos anos é que em um cenário marcado pelo divisionismo, nem sempre as reações estão no campo do bom senso e racional – e que as interações entre pessoas, marcas e iniciativas se tornaram muito mais pessoais, desde a chegada da pandemia. Passamos por um reset social.

Comprar uma série de coisas das quais não precisamos durante a Black Friday somente para aproveitar uma oferta, é uma coisa. Esperar muito mais das marcas com as quais interagimos, cobrando que tenham uma atuação ativa na sociedade, muito além de suas atribuições comerciais, é outra.

“Antes, estávamos confortavelmente entorpecidos, comprando mais barato, maior e melhor; agora, a pandemia gerou sofrimento e trauma, e a introspecção que ela gerou expôs nossa fragilidade. A pandemia nos mudou e agora buscamos mais no comércio. Esperamos realização, não apenas consumo. Esperamos que as marcas que patrocinamos não sejam apenas fabricantes e varejistas, mas contribuintes ativos e úteis para a nossa sociedade”, escreve Dipanjan Chatterjee, vice-presidente e analista principal da Forrester Research, onde lidera a prática de pesquisa de estratégia de marca, em um artigo para a MIT Sloan Management Review. “Nessa transição está uma das redefinições mais significativas para a marca moderna. Essa nova reconfiguração social é um território desconhecido para a maioria das empresas, que agora precisam lidar com as expectativas de novos clientes e funcionários”.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Futuro das fintechs pode incluir biofintechs e sistemas à prova de invasão quantum

Tendências

Futuro das fintechs pode incluir biofintechs e sistemas à prova de in...

O futurista Bernard Marr lista as principais tendências de fintechs que vnao crescer nos próximos dez anos. Confira a lista completa

Saúde é a próxima aposta das Big Techs em negócios de bilhões

Tendências

Saúde é a próxima aposta das Big Techs em negócios de bilhões

Amazon, Google, Microsoft e Nvidia estão entre as empresas que investem em IA e computação em nuvem para desenvolver novos medicamentos e serviços de saúde

IA Generativa está mudando o perfil dos empregos

Tendências

IA Generativa está mudando o perfil dos empregos

As empresas estão contratando pessoas com conhecimento ou familiaridade com a IA Generativa, mas ainda precisam investir na mudança de processos. Entenda

Com tanta urgência no mundo, será que dá para falar em desacelerar? 

Tendências

Com tanta urgência no mundo, será que dá para falar em desacelerar?...

É importante pensar no assunto, porque esse é o grande desejo dos consumidores segundo a 10⁠ª edição do The Future 100, realizado pelo grupo de publicidade VML

O poder dos superfãs

Tendências

O poder dos superfãs

Uma legião de superfãs, e o apreço das novas gerações pela IA Generativa, sinalizam novas oportunidades de receita para as empresas de Mídia e Entretenimento Digital, diz a Deloitte.

Aproveite a era das mudanças quânticas

Tendências

Aproveite a era das mudanças quânticas

Mudanças quânticas trazem grandes oportunidades, mas é fundamental entender completamente o cenário para não errar a mão. Um novo relatório tem uma lista de 50 delas.