s
STARTUPS

Fazer parcerias com xTechs vale a pena

Colaborações com startups pode gerar até 17% mais receita para as incumbentes, confirma MIT CISR

Grandes empresas estão cada vez mais fazendo parcerias com empresas emergentes que podem oferecer inovação e crescimento de receita. Essas empresas menores, geralmente chamadas de xTechs – fintechs, edtechs, healthtechs, foodtechs, proptechs, lawtechs, hrtechs e por aí vai — costumam estabelecer uma relação ganha-ganha com as incumbentes, mas não sem algum risco, de acordo com pesquisadores do MIT CISR.

A pesquisa revelou quatro tipos de parcerias entre grandes organizações e xTechs, cada uma com diferentes desafios e considerações.

  • Exploração tecnológica. Aqui, grandes organizações procuram parceiros xTech para testar novos produtos voltados para o cliente ou sistemas internos. Por exemplo, uma fintech poderia trabalhar rapidamente para instalar uma nova plataforma digital para testar processos de conformidade, governança, segurança e integração.
  • Incubação de modelos de negócios. Modelo no qual os parceiros constroem uma proposta de valor para o cliente e, em seguida, oferecem um produto de teste. Os proprietários das operações de negócios organizam os processos de suporte. Nesses casos, as empresas de serviços financeiros geralmente identificam um produto que atende a uma necessidade não atendida de um pequeno segmento de mercado-alvo e, em seguida, testam seu uso e desempenho. Por meio de uma iteração cuidadosa, eles podem criar confiança para implementá-lo em uma escala maior.
  • Dimensionamento. Esse tipo de parceria envolve a movimentação de cargas de trabalho em grande escala — centenas de produtos, milhões de contas de clientes ou bilhões de transações — de plataformas legadas para novas plataformas fintech, por exemplo. Isso ajuda as grandes empresas a quebrar os silos entre as unidades de negócios, aumentando a monetização dos dados em toda a organização.
  • Investimentos passivos. Nesses casos, uma empresa de serviços financeiros pode investir diretamente em uma startup por meio de uma incubadora ou filial de investimentos. Esses arranjos funcionam melhor quando a grande organização dá à fintech latitude para inovar.

O relatório final aponta também algumas lições importantes.

  • xTechs especializados em abordagens centradas no cliente são boas parceiras. Sua velocidade de entrega é rápida e permitem uma experiência que atende às expectativas dos clientes em constante mudança.
  • Muitas xTechs ajudam a melhorar as operações; conseguir implantar a tecnologia em toda a organização alcança escala rapidamente em comparação com as abordagens de experiência do cliente orientadas pela demanda. No entanto, o impacto das consequências negativas pode ser significativo.
  • Essas melhorias na experiência do cliente e na eficiência operacional proporcionam crescimento médio de receita de mais de 17%.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Scale-ups para ficar de olho em 2024

Startups

Scale-ups para ficar de olho em 2024

Scale-ups são startups que chegaram à vida adulta e crescem, no mínimo 20% ao ano, sua receita recorrente. Sua habilidade de escalar os negócios merece ser estudada pelas empresas tradicionais, já que apenas uma em cada 200 startups ch...

2024, o ano dos unicorpses

Startups

2024, o ano dos unicorpses

Dez anos depois que o termo Unicórnio foi estabelecido o cenário atual está cada vez mais difícil para as startups conseguirem prosperar no mercado gerando vários “unicorpses”

Para onde correm os unicórnios?

Startups

Para onde correm os unicórnios?

Aileen Lee, sócia da Cowboy Ventures, dez anos depois de seu artigo "Welcome to the unicorn club" escreve uma nova análise sobre o futuro dessas empresas

Oportunidades em Open Innovation no Brasil

Startups

Oportunidades em Open Innovation no Brasil

A Inovação Aberta movimentou R$ 6,4 bilhões em parcerias entre empresas e startups nos últimos 12 meses. Mais de uma centena de empresas adotaram o Corporate Venture Capital (CVC)

Quando o caixa aperta, as vagas somem

Startups

Quando o caixa aperta, as vagas somem

O inverno das startups não gerou apenas demissões no mercado global. Um novo relatório publicado pela Carta mostra impactos negativos no tamanho das equipes e redução das médias salariais

Onde são criados os unicórnios?

Startups

Onde são criados os unicórnios?

Três estudos mapearam o perfil de carreira dos unicórnios em todo o mundo. Os resultados são, no mínimo, curiosos. Os celeiros de origem, por exemplo, não são aqueles nos quais costumamos pensar.

Por Cristina De Luca e Sinvia Bassi