s
MERCADO

Expansão internacional: o que pode dar errado?

Adaptar soluções ao novo mercado, recrutar talentos, regulação e planejamento financeiro estão entre os principais desafios da internacionalização

Por João Ortega 15/06/2021

As fronteiras entre os países são apenas linhas imaginárias. Mas, para as empresas, podem se tornar barreiras altas e reais. Na média, a expansão internacional traz prejuízo nos primeiros cinco anos e retorna apenas 1% após dez anos, segundo dados da Reuters publicados em 2015.

Embora acessar mercados maiores seja a prioridade nos processos de expansão, duas a cada três empresa buscam, também, capital humano qualificado. Um estudo da The Economist com profissionais de RH aponta, no entanto, que recrutar talentos no exterior e lidar com leis trabalhistas e questões de compliance locais são as grandes dificuldades do processo.

A gestão de pessoas surge, assim, como o primeiro dos desafios para a expansão internacional. Além disso, o que mais pode dar errado?

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Novas demissões são um sinal negativo para o mercado

Economia

Novas demissões são um sinal negativo para o mercado

Em cinco meses de 2022, o número de demissões já se iguala ao total de 2021. Sinais de falta de liquidez atingem principalmente as scale-ups

A saga Twitter & Elon Musk. Um fio para acompanhar

Mercado

A saga Twitter & Elon Musk. Um fio para acompanhar

O bilionário quer comprar o Twitter por US$ 44 bilhões. A história continua rendendo porque o deal leva tempo e muito dinheiro. Acompanhe aqui

Com ETF, Hashdex aposta no DeFi

Inovação

Com ETF, Hashdex aposta no DeFi

As finanças descentralizadas vem ganhando notoriedade com a premissa de disruptarem o setor financeiro.

Por Marina Hortélio
Plataformas Low-Code e No-Code apoiam a transformação digital

Inovação

Plataformas Low-Code e No-Code apoiam a transformação digital

Startups Low-Code e No-Code permitem que empresas lancem produtos digitais mais rápido e com menos envolvimento das equipes de TI.

Por Marina Hortélio
Investimento recorde em Climate Tech: mais capital para cuidar da Terra

Tendências

Investimento recorde em Climate Tech: mais capital para cuidar da Terr...

A guinada ESG dos investidores e urgência de criar soluções para as mudanças climáticas atraem investimentos para as Climate Techs.

Por Marina Hortélio
Criptomoedas: o que está no horizonte para 2022?

Inovação

Criptomoedas: o que está no horizonte para 2022?

As criptomoedas ganharão força em três áreas principais: maior aceitação do Bitcoin como meio de pagamento, maior escrutínio regulatório e aumento na atividade de NFT.

Por Bertrand Malsch, Erica Pimentel e Nathaniel Loh, The Conversation