s
Crédito: Gerd Altmann/Pixabay
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Depois do personal shopper, vem aí o personal health IA?

Para atender medidas regulatórias e critérios de privacidade, os dados médicos do indivíduo ficariam armazenados em bases de dados em cada país

Personal trainer, personal shopper... que tal personal health IA? A ideia de que a Inteligência Artificial possa ser usada pelos governos para nos tirar com segurança do lockdown, criando uma agenda de comportamento pós-Covid personalizada para cada habitante do planeta, a partir de seus hábitos, estilo de vida e perfil de saúde, foi lançada recentemente por um grupo de acadêmicos.

A proposta é radical e tem desafios regulatórios e de tecnologia, mas o argumento é imbatível: "a Covid-19 poderia ter sido melhor gerenciada se os governos tivessem aproveitado de fato as tecnologias avançadas de dados que transformaram os negócios nos últimos 20 anos", escreveram os pesquisadores em um artigo na Harvard Business Review. "Discutimos uma maneira de os governos alavancarem essas tecnologias no gerenciamento de uma pandemia futura - e talvez até nas fases finais da atual".

Os três pesquisadores - Theos Evgeniou, professor de Decision Sciences e Technology Management do INSEAD, David Hardoon, Senior Advisor de Data e Artificial Intelligence no UnionBank Philippines e ex-CDO da Autoridade Monetária de Singapura, e Anton Ovchinnikov, professor de Customer Analytics na Smith School of Business e na Queen’s University (Canadá) e professor visitante do INSEAD - propõem um modelo global de Machine Learning e dados parecido com os mecanismos atuais de recomendação e personalização (pense em Netlflix, Amazon.com e nas fintechs, por exemplo) que seria usado em conjunto por governos do mundo todo para combater essa e as próximas pandemias que vão inevitavelmente aparecer.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Responsabilidade pela ética da IA é dos C-levels

Inteligência Artificial

Responsabilidade pela ética da IA é dos C-levels

À medida que a adoção da IA ​​aumenta rapidamente, é fundamental que a ética da IA ​​progrida de teorias abstratas para práticas concretas, sob a batuta dos executivos das áreas de negócios

Personalização e IA andam de mãos dadas

Inteligência Artificial

Personalização e IA andam de mãos dadas

A tecnologia ajuda a compreender as necessidades específicas de cada consumidor e a estabelecer uma comunicação direta e eficaz, para melhorar o relacionamento entre marca e cliente

Pill digitaliza a farmácia para gerar mais valor para o paciente

Inovação

Pill digitaliza a farmácia para gerar mais valor para o paciente

A digitalização das farmácias pode escalar um modelo de atendimento farmacêutico mais próximo e personalizado.

Como aumentar a segurança do metaverso?

Inovação

Como aumentar a segurança do metaverso?

O início do metaverso é o melhor momento para criar bases sólidas para garantir a segurança cibernética nessa nova etapa da internet

Por Charlie Bell, Fórum Econômico Mundial
A Inteligência Artificial e seus três eixos regulatórios

Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial e seus três eixos regulatórios

A ética dos dados, a ética dos algoritmos e a ética das práticas devem embasar as propostas de legislação que busquem provocar a internalização de conceitos de “certo” ou “errado”

Por Gustavo Artese*, especial para The Shift
NIST aponta caminhos para reduzir o viés da IA

Inteligência Artificial

NIST aponta caminhos para reduzir o viés da IA

Frequentemente visto como um problema técnico, estudo reconhece que grande parte do problema decorre de vieses humanos, sistêmicos e institucionais. E aponta formas de resolvê-los