s
Crédito: Gerd Altmann/Pixabay
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Depois do personal shopper, vem aí o personal health IA?

Para atender medidas regulatórias e critérios de privacidade, os dados médicos do indivíduo ficariam armazenados em bases de dados em cada país

Personal trainer, personal shopper... que tal personal health IA? A ideia de que a Inteligência Artificial possa ser usada pelos governos para nos tirar com segurança do lockdown, criando uma agenda de comportamento pós-Covid personalizada para cada habitante do planeta, a partir de seus hábitos, estilo de vida e perfil de saúde, foi lançada recentemente por um grupo de acadêmicos.

A proposta é radical e tem desafios regulatórios e de tecnologia, mas o argumento é imbatível: "a Covid-19 poderia ter sido melhor gerenciada se os governos tivessem aproveitado de fato as tecnologias avançadas de dados que transformaram os negócios nos últimos 20 anos", escreveram os pesquisadores em um artigo na Harvard Business Review. "Discutimos uma maneira de os governos alavancarem essas tecnologias no gerenciamento de uma pandemia futura - e talvez até nas fases finais da atual".

Os três pesquisadores - Theos Evgeniou, professor de Decision Sciences e Technology Management do INSEAD, David Hardoon, Senior Advisor de Data e Artificial Intelligence no UnionBank Philippines e ex-CDO da Autoridade Monetária de Singapura, e Anton Ovchinnikov, professor de Customer Analytics na Smith School of Business e na Queen’s University (Canadá) e professor visitante do INSEAD - propõem um modelo global de Machine Learning e dados parecido com os mecanismos atuais de recomendação e personalização (pense em Netlflix, Amazon.com e nas fintechs, por exemplo) que seria usado em conjunto por governos do mundo todo para combater essa e as próximas pandemias que vão inevitavelmente aparecer.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

IA Responsável: um caminho a percorrer

Inteligência Artificial

IA Responsável: um caminho a percorrer

Novas pesquisas mostram que, embora os líderes concordem que a IA responsável deve ser uma preocupação da alta administração, poucos priorizaram essas iniciativas. Por onde começar?

Nem sempre a IA funciona. Por que?

Inteligência Artificial

Nem sempre a IA funciona. Por que?

É possível resumir o que a inteligência de máquina faz muito bem com três Ps: padrões, probabilidades e performance. O problema é a falta de compreensão das características básicas do problema de negócios.

Energia perdida no ar para a Indústria 4.0

Internet das Coisas

Energia perdida no ar para a Indústria 4.0

Deep tech brasileira criou um método para reciclar ondas eletromagnéticas dispersas no ar como fonte de energia para dispositivos IoT. A solução se encaixa na crescente digitalização da Economia.

Qual o futuro dos chatbots de IA?

Inteligência Artificial

Qual o futuro dos chatbots de IA?

E por que aqueles alimentados por grandes modelos de linguagem, apesar de mais capazes, ainda levarão algum tempo para chegar aos aplicativos comerciais?

CyberOne, o robô afetivo

Inteligência Artificial

CyberOne, o robô afetivo

Novo humanoide da Xiaomi reconhece mais emoções humanas. De acordo com a empresa, o CyberOne é capaz de saber, por exemplo, se uma pessoa está triste ou feliz e até consolá-la. Com isso, a Computação Afetiva atiçou a curiosidade...

Por Equipe THE SHIFT
Lideranças de dados e análises devem explorar mais a Causal AI

Inteligência Artificial

Lideranças de dados e análises devem explorar mais a Causal AI

O que significa ir além de previsões baseadas em correlação e investir nas prescrições baseadas em causalidade para melhorar a tomada de decisão