s
Deixar de lado as críticas não é sinônimo de aumento de criatividade e imaginação, defendem pesquisadores Crédito: Fizke/Unsplash
INOVAÇÃO

Criatividade: quando criticar (ou não) uma ideia pode torná-la melhor

Tudo depende do contexto, de acordo com uma nova pesquisa: se for colaborativo, a crítica pode ampliar a imaginação e tornar a ideia melhor

Por Redação The Shift 04/04/2022

Levante a mão quem nunca sentiu vontade de criticar a ideia de alguém durante uma sessão de brainstorming, mas se segurou no último minuto porque afinal de contas, “tem que ser livre de julgamento”. De fato, as regras fundamentais ditam que o mais importante é ter quantidade, não qualidade; estar aberto a ideias absurdas; e nada de criticar o coleguinha.

De acordo com o estudo “Cooperative Criticism: When Criticism Enhances Creativity in Brainstorming and Negotiation” (Crítica cooperativa: quando a crítica aumenta a criatividade no brainstorming e na negociação, em tradução livre), isso não é bem verdade. Deixar de lado as críticas não é sinônimo de aumento de criatividade e imaginação. Ao suspender o julgamento sobre a qualidade das ideias sugeridas, é possível que o processo sufoque o pensamento e deixe de agregar melhorias, aponta Jared R. Curhan, professor associado de Estudos do Trabalho e Organização no MIT Sloan School of Management. Segundo ele e sua equipe, tudo depende do contexto: se é uma questão de colaboração ou de competição.

“Um contexto social cooperativo permite que a crítica seja interpretada positivamente, estimulando a criatividade sem incitar o conflito intragrupal, enquanto um contexto social competitivo torna a crítica mais divisiva, levando ao conflito intragrupal e a uma redução correspondente na criatividade”, afirmam os autores do estudo Jared R. Curhan , Tatiana Labuzova e Aditi Mehta. Eles participaram de 100 sessões de brainstorming em grupo, sendo que em metade delas os facilitadores desencorajavam críticas e nas outras 50 sessões, havia o incentivo para criticar as ideias. Ficou claro que o resultado dependia muito do contexto.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

As perguntas são tão importantes quanto as respostas

Inovação

As perguntas são tão importantes quanto as respostas

Há um mérito em fazer perguntas ingênuas e até aquelas aparentemente "sem nexo", que podem ajudar a encontrar a chave certa para a porta certa

Por Redação The Shift
Como desenvolver a criatividade no trabalho remoto

Liderança

Como desenvolver a criatividade no trabalho remoto

Em um ambiente de trabalho remoto ou mesmo híbrido, as equipes não estão presentes todos os dias. Como desenvolver um ambiente criativo e inovador?

Por Soraia Yoshida
O jeito certo de perder o foco e exercitar criatividade

Carreira

O jeito certo de perder o foco e exercitar criatividade

Novos estudos apontam que existe um jeito certo de deixar a mente divagar e que ao fazer isso, nos tornamos mais criativos e também mais felizes

Por Soraia Yoshida
Lideranças e equipes precisam rir mais juntos

Liderança

Lideranças e equipes precisam rir mais juntos

O riso é um poderoso agente de conexão, que pode ajudar a produtividade, criatividade e melhorar muito um ambiente de trabalho estressante

Por Soraia Yoshida
Microdoses psicodélicas e os novos rumos da saúde mental

Tendências

Microdoses psicodélicas e os novos rumos da saúde mental

Dada a escalada das doenças mentais na sociedade, abordagens inovadoras de tratamento são urgentemente necessárias. Uma dessas novas abordagens é o uso terapêutico dos psicotrópicos

Por Cristina De Luca
O que a destruição criativa tem a ver com a inovação

Inovação

O que a destruição criativa tem a ver com a inovação

A inovação é indispensável para o crescimento e o capitalismo é indispensável para a inovação, mas precisa ser regulamentado

Por Soraia Yoshida