s
Crédito: Ekaterina Bolovtsova/Pexels
TENDÊNCIAS

Como se dar bem na economia low touch

As empresas e empreendedores que querem avançar na economia digital precisam começar pelos chamados espaços vazios e pelo entendimento de que há novos trabalhos a fazer

"A Covid-19 pode demorar a passar, mas as oportunidades de novos negócios vão sumir rápido", alerta um dos fundadores da Board of Innovation, Philippe De Ridder, no final da versão atualizada do relatório sobre a economia Low Touch, que a consultoria vem produzindo desde o final do ano passado. Falamos dele em uma das edições de maio da The Shift, mas vale a pena retomar a conversa por conta dos inputs importantes no relatório.

Como se dar bem na economia low touch? Comece entendendo quais são os white spaces (ou espaços vazios) para onde é possível endereçar os novos esforços digitais da sua empresa, e como ocupá-los resolvendo os novos problemas que um cenário DC (Depois da Covid-19) traz para os consumidores.

ENTENDA, esses white spaces só estão ali porque há novos "jobs to be done" dos seus clientes/consumidores, nascidos da pandemia do novo coronavírus, potencialmente o maior "imbroglio" da história da humanidade. "As pessoas não compram simplesmente produtos e serviços, elas os "contratam" para avançar em circunstâncias específicas", diz a teoria idealizada pelo professor Clayton Christensen.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Open Finance vai mais longe com dados enriquecidos

Inteligência Artificial

Open Finance vai mais longe com dados enriquecidos

Ao economizarem tempo no consumo de insights, em vez de dados brutos, as instituições financeiras construirão melhores serviços, explica Albert Morales, diretor-geral da Belvo

A teia gigante da Economia das APIs

Tendências

A teia gigante da Economia das APIs

São a ponte entre diferentes ecossistemas e são as facilitadoras da inovação. O mercado financeiro nacional é o maior exemplo de que não podemos mais sobreviver sem elas

NeuroAI, a próxima fronteira

Inteligência Artificial

NeuroAI, a próxima fronteira

Ela está ajudando os neurocientistas a tornar os modelos cerebrais in silico mais precisos. Em breve, será possível baixar e usar modelos sensoriais, sob demanda, na saúde, na publicidade, etc.

Créditos de carbono para compensar emissões e preservar as florestas

Tendências

Créditos de carbono para compensar emissões e preservar as florestas

Uma das startups que desenvolve o mercado voluntário no Brasil, a Carbonext atrela a compensação das emissões de CO2 à preservação da Amazônia.

Quando os atributos são mais relevantes que as habilidades

Tendências

Quando os atributos são mais relevantes que as habilidades

E por que compreender a diferença entre os dois é um passo crítico para otimizar seu desempenho em tempos desafiadores, segundo os profissionais de RH

Assim nasce uma mediatech

Tendências

Assim nasce uma mediatech

Globo investe em soluções proprietárias de métricas, modelos estatísticos e performance para otimizar a publicidade multiplataforma