s
Crédito: Mike Van Schoonderwalt/Pexels
GESTÃO

Como o propósito da empresa ajuda a entregar valor

O propósito deve ser sistêmico e racional, mas também emocional; deve ressoar com os membros da organização e informar sua tomada de decisão

Construir o propósito de uma empresa de forma real, sem que ele seja tratado como um remendo, pode parecer fácil à primeira vista – acredite, não é. De fato, apenas 7% dos CEOs das empresas que fazem parte do ranking da Fortune 500 acreditam que suas organizações deveriam se preocupar basicamente em ganhar dinheiro e “não se distrair com objetivos sociais”.

Seja fiel a quem você é uma “regra de ouro”, certo? Sim, mas como já ficou claro para quem acompanha empresas de rápido crescimento, o propósito tem que ser parte da estratégia e tem que estar claro para todo mundo que trabalha ali, independentemente do cargo.

“Uma abordagem superficial do propósito não funciona. Na verdade, pode causar danos consideráveis”, atesta o artigo “Mais do que uma declaração de missão: como os 5Ps incorporam o propósito de entregar valor”, da McKinsey. Seus autores reforçam que a suposta “magia” das “empresas vencedoras” não é algo que pode ser facilmente adicionado ao mix, sob o risco de a empresa ser acusada de os clientes a acusarem de não ser autêntica. Da mesma maneira, acrescenta, “clientes, fornecedores, parceiros e investidores reconhecem a proposta de valor”. Construir a dinâmica em que clientes, fornecedores, parceiros, investidores, a liderança e os funcionários reconhecem a proposta de valor é a chave para imbuir esse propósito dentro da cultura da empresa.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Como as grandes empresas podem apoiar os inovadores

Inovação

Como as grandes empresas podem apoiar os inovadores

No momento de reconstrução das organizações pós-pandemia, as grandes empresas precisam apoiar os empreendedores sociais na criação de um novo paradigma de negócios

Por Isis Bous, Lex Mundi Pro Bono Foundation
Deu match: Chief as a Service conecta startups com executivos de alto nível

Liderança

Deu match: Chief as a Service conecta startups com executivos de alto...

A ideia é permitir que startups contem com o apoio de um C-level por algumas horas semanais para resolver uma dor da empresa

Por Marina Hortélio
Generalista ou especialista: quem se dá melhor no mercado?

Carreira

Generalista ou especialista: quem se dá melhor no mercado?

Os especialistas vinham levando a melhor até pouco tempo, mas estudos e analistas apontam que os generalistas estão bem longe de perder essa briga

O Brasil é um terreno fértil para Govtechs

Startups

O Brasil é um terreno fértil para Govtechs

Com atuação voltada para o serviço público, as Govtechs têm grande potencial de causar impacto na vida do brasileiro

Por Marina Hortélio
Como tornar o recrutamento de talentos mais diverso (de verdade)

Carreira

Como tornar o recrutamento de talentos mais diverso (de verdade)

Uma parte das empresas já enxerga que tornar seu recrutamento mais diverso e inclusivo é uma mudança necessária com enormes ganhos no longo prazo

Por Soraia Yoshida
Como liderar em tempos de mudanças constantes?

Liderança

Como liderar em tempos de mudanças constantes?

O mindset é essencial para que os times possam ver as mudanças como algo positivo. Elise Mitchell indica estratégias para criar um ambiente favorável a esses desafios

Por Marina Hortélio