s
Foto: Guilherme Breder / www.bsfotografias.com.br

ENTREVISTA

Como a Trybe garante empregabilidade no mercado de tecnologia

Em entrevista exclusiva, o fundador da escola digital Matheus Goyas explica por que o modelo de sucesso compartilhado visa a maior qualidade na formação de desenvolvedores

Por João Ortega 11/12/2020

Imagine um mundo em que o cliente só começa a pagar por um serviço quando seu problema for solucionado de fato. Essa é a visão do empreendedor Matheus Goyas e da Trybe, edtech da qual é fundador e CEO. Com o inovador modelo de "sucesso compartilhado", a escola de desenvolvedores de software só cobra mensalidade quando o aluno é contratado e passa a receber um salário de, pelo menos, R$ 3 mil.

“Este modelo cria um círculo virtuoso de investimento contínuo em qualidade da educação, visando sempre a empregabilidade”, explica Matheus Goyas. Se os estudantes formados na Trybe não forem contratados, a startup não fatura. Portanto, ela é obrigada a entregar uma solução de alta qualidade.

A escola de programação busca evoluir o currículo de forma contínua. Todos os dias, o feedback dos alunos é usado para melhorar a próxima aula; todo trimestre, entrevistas com um ecossistema de 40 empresas parceiras apontam para as lacunas no mercado de trabalho que a Trybe busca preencher.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

As duas faces da gig economy

Economia Digital

As duas faces da gig economy

De um lado, trabalhadores informais recorrem a plataformas de delivery por necessidade. Do outro, profissionais qualificados buscam maior flexibilidade. Como garantir direitos a todos?

Por João Ortega
Diversidade geracional e inserção de idosos no mercado de trabalho

Carreira

Diversidade geracional e inserção de idosos no mercado de trabalho

Com o envelhecimento gradual da população e os desafios da pandemia, torna-se necessário repensar carreiras e processos seletivos para profissionais 50+

Por João Ortega
10 tecnologias disruptivas em 2020

Inovação

10 tecnologias disruptivas em 2020

Tecnologias como computação quântica e IA têm potencial para mudar o mundo como o conhecemos. Veja quais outras fazem parte da lista anual da MIT Technology Review

Por Redação The Shift