s
Rodrigo Carvalho é cofundador da Positive Brands, empresa que quer transformar a alimentação das pessoas Crédito: Divulgação

ENTREVISTA

A transformação plant-based que nasceu da castanha

De um produto que nasceu para aproveitar a matéria-prima do negócio da família, a Positive Brands construiu uma marca que investe no plant-based para transformar a alimentação das pessoas, como conta o cofundador Rodrigo Carvalho

Por Soraia Yoshida 15/04/2021

Tudo tem um começo. No caso da marca A Tal da Castanha, foi uma viagem do empresário Antônio José Carvalho, fundador da Amêndoas do Brasil, aos Estados Unidos em 2014. “Meu pai viu que as vendas de almond milk estavam crescendo. Ele voltou se questionando e sugeriu: por que a gente não lança um leite a base de castanha de caju?”, conta Rodrigo Carvalho, cofundador da Positive Brands, ao lado do irmão Felipe. “Aí ele chamou meu irmão, que vivia em São Paulo, já empreendia e tinha startup, ‘para criar um bicho novo’”.

O foco inicial era criar um produto de valor agregado que fizesse uso da matéria-prima com a qual a Amêndoas do Brasil, uma das quatro grandes beneficiadoras de castanha no Ceará, já trabalhava. Mas com os irmãos no comando do projeto, ele acabou se tornando mais ambicioso. “Os leites vegetais que existiam eram a base de soja, e nós queríamos produzir uma bebida a base de castanha, sem conservante, sem estabilizante, sem aroma, com o mínimo de ingredientes, máximo de qualidade e que fosse saudável”, diz Rodrigo. Sim, era um bicho diferente, mesmo para o mercado de produtos considerados saudáveis no Brasil.

Segundo o estudo “Estilos de Vida 2019”, da Nielsen, o brasileiro está mais preocupado com a saúde e o meio ambiente. Pelo menos 42% mudaram seus hábitos de consumo para reduzir o impacto no meio ambiente e 57% reduziram o consumo de gordura, enquanto 56% diminuíram a ingestão de sal. O denominado “shopper saudável” possuía então um nível socioeconômico A e B e, portanto, maior ticket médio, com 44% lamentando não ter mais opções de produtos orgânicos, 26% adotando uma dieta livre de glúten e 15%, sem lactose. Foi nesse nicho que A Tal da Castanha entrou primeiro com seu leite a base de castanha, depois com um achocolatado, aveia e até uma bebida com café na mistura, a Barista – e que hoje é o segundo produto mais vendido da linha.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Hambúrguer de carne vegetal é o futuro?

Inteligência Artificial

Hambúrguer de carne vegetal é o futuro?

As companhias que produzem carne vegetal disputam nos bastidores os contratos com McDonald's, Burger King e Pizza Hut

Por Redação The Shift
O que acontece se a China tirar a carne do menu?

Tendências

O que acontece se a China tirar a carne do menu?

Cafés e restaurantes chineses estão usando proteínas alternativas à base de plantas, provenientes da China, Coreia e dos Estados Unidos em pratos tradicionalmente à base de carne

Por Redação The Shift
Agtechs inovam cenário do campo e trazem tendências

The Shift 360°

Agtechs inovam cenário do campo e trazem tendências

As startups oferecem soluções para gestão, previsão de chuvas, geolocalização, melhoramento de espécies, marketplaces e mais serviços para o agronegócio

Por Marina Hortélio