s
Crédito Canva
GESTÃO

A epidemia de solidão persiste e é cada vez mais um problema corporativo

Sentimento é considerado um efeito colateral do trabalho remoto. Mas até funcionários que trabalham regularmente no escritório podem se sentir solitários. O que mina o desempenho

O que você precisa para se sentir bem e prosperar no trabalho? Que tipo de interações e níveis de engajamento você gosta? Conversa fiada no cafezinho, reuniões individuais ou conversas em grupo? Gostaria de ter uma equipe maior para colaborar?

A solidão – a angústia e o desconforto que sentimos quando percebemos uma lacuna entre a conexão social que queremos e a quantidade e qualidade dos relacionamentos que temos atualmente – pode ser um efeito colateral do trabalho remoto. Essa falta de conexão pode parecer leve ou enorme. E já vinha aumentando mesmo antes da pandemia, com 61% dos entrevistados em um estudo de 2020 conduzido pela Cigna relatando sentir-se solitários.

No início deste mês, Vivek Murthy, chefe operacional do US Public Health Service Commissioned Corps (PHSCC) e principal porta-voz para questões de saúde pública do governo federal dos Estados Unidos, divulgou um relatório de 81 páginas sobre a epidemia de solidão e isolamento, chamando a atenção para a tendência preocupante de desconexão social nos Estados Unidos. Na sequência, em um ensaio publicado pelo NYT, cita vários estudos que mostram como a solidão prolongada afeta negativamente nossa saúde física e mental.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Inclusão pode ser a resposta para a crise do burnout

Liderança

Inclusão pode ser a resposta para a crise do burnout

As empresas precisam trabalhar a inclusão muito além do onboarding, criando um espaço em que as pessoas se sentem seguras para se expressar

Por que é tão difícil abraçar mudanças audaciosas?

Gestão

Por que é tão difícil abraçar mudanças audaciosas?

Porque talvez estejamos deixando de fazer as pergunta mais difíceis, diz designer, curador e empresário Seth Goldenberg.

Gestão de mudanças também é cultura e estratégia

Gestão

Gestão de mudanças também é cultura e estratégia

Nunca foi tão necessário repensar toda a abordagem da empresa à mudança. Entraremos em uma época na qual a capacidade de mudar se tornará central para a estratégia corporativa.

É hora de ouvir mais e agir rápido para não perder pessoas-chave

Gestão

É hora de ouvir mais e agir rápido para não perder pessoas-chave

Chegou a época do ano de fazer balanço e, de segurar aquelas pessoas que fazem a diferença na empresa. Já ouviu falar de "stay interviews"?

O que torna o feedback tão difícil?

Liderança

O que torna o feedback tão difícil?

A dor de descobrir lacunas profundas provoca fortes emoções e aciona gatilhos indesejados. Às vezes, a hesitação em aceitar essas lacunas vem das reservas que temos com a pessoa que as apontou

Mais princípios, menos conflitos

Gestão

Mais princípios, menos conflitos

Quando as empresas enfrentam decisões difíceis, princípios bem articulados podem ajudá-las a fazer melhores escolhas. Mais do que declarações vazias se missão e valores. E o que define os princípios?