s
Crédito: Pixabay
SEGURANÇA

Transparência nos dados só não basta

Todas as empresas podem começar, desde já, a encontrar formas de serem realmente mais transparentes, questionando-se regularmente sobre uma série de pontos

Por Cristina De Luca 24/02/2021

Em uma sociedade cercada por algoritmos enigmáticos e vastos sistemas de vigilância, a transparência é frequentemente saudada como a super-heroína da democracia liberal. Acontece que, sem suporte adequado, ela pode rapidamente se tornar combustível para especulação e mal-entendidos, revela Sun-ha Hong, autor do livro "Technologies of Speculation - The Limits of Knowledge in a Data-Driven Society". Na opinião dele, o público está sobrecarregado com deveres que possivelmente não pode cumprir: ler todos os termos de serviço, entender cada caso complexo de dano algorítmico, verificar cada notícia.

A transparência não pode resolver nossos problemas sozinha. Em seu livro "The Rise of the Right to Know", o jornalista Michael Schudson argumenta que a transparência é melhor entendida como uma “moralidade secundária ou procedimental”: uma ferramenta que só se torna efetiva por outros meios. Devemos ir além do mito pernicioso da transparência como uma solução universal.

Ontem, descrevendo a privacidade como um direito humano, o CEO da Microsoft, Satya Nadella, voltou a defender uma regulamentação global sobre segurança e privacidade de dados, que garanta que os produtos e serviços de tecnologia sejam seguros para uso. E que, em larga escala, defina a "Liga da Justiça" que abrigará a transparência e outros super-heróis dos tempos modernos.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Govtechs vão em busca da transparência

Tendências

Govtechs vão em busca da transparência

Startups oferecem soluções inovadoras para setores dentro do governo e na outra ponta para cidadãos interessados em acompanhar a atuação nas esferas executiva e legislativa

Por Soraia Yoshida
A Lei Geral de Proteção de Dados já pegou

The Shift 360°

A Lei Geral de Proteção de Dados já pegou

A LGPD é apenas um dos vetores para construção de um ecossistema que assume a privacidade como direito fundamental dos brasileiros

Por Cristina De Luca
A rotulagem de dados pessoais será fundamental nesta década

Inteligência Artificial

A rotulagem de dados pessoais será fundamental nesta década

Apesar da ideia de privacy label não ser nova – particularmente no campo de Internet das Coisas – um movimento da Apple, acompanhado pelo Google, pode finalmente impulsionar a sua adoção

Por Cristina De Luca
Não adianta pedir consentimento ou alegar legítimo interesse para tudo

The Shift 360°

Não adianta pedir consentimento ou alegar legítimo interesse para tu...

Essas são apenas duas das dez hipóteses que legitimam o tratamento de dados pessoais na LGPD. E estão longe de ser aplicáveis a qualquer situação

Por Cristina De Luca
Para 2021 a privacidade se torna um imperativo

The Shift 360°

Para 2021 a privacidade se torna um imperativo

Empresas baseadas em valores éticos elevarão a privacidade, dos clientes e funcionários, a um ativo estratégico para os negócios e um imperativo social

Por Cristina De Luca
Adoção do Privacy by Design gera vantagem competitiva

Entrevista

Adoção do Privacy by Design gera vantagem competitiva

Produtos e serviços devem ser concebidos e projetados com privacidade como uma prioridade absoluta, até por uma questão econômica, defende Bruno Bioni, fundador do Data Privacy Brasil

Por Cristina De Luca