s

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

Tendências para o e-commerce pós-Covid

Muita coisa mudou no comércio eletrônico desde o início da pandemia. Confira cinco áreas que serão impactadas devido à mudança nos comportamentos de compra

Por Redação The Shift 08/10/2020

A pandemia de coronavírus colocou o comércio eletrônico na vanguarda do varejo. Como as pessoas adotaram o distanciamento social como uma forma de desacelerar a propagação da pandemia, naturalmente houve uma queda nas compras físicas. Até o final de 2020, as vendas globais de comércio eletrônico devem chegar a US$ 4,2 trilhões, segundo relatório recente do gigante do comércio eletrônico Shopify.

De compras a granel a compras online, as pessoas também estão mudando o que, quando e como estão comprando. O Gartner identificou cinco áreas do comércio eletrônico que serão impactadas devido à mudança nos comportamentos de compra.

As lideranças devem entender essas mudanças e ajustar os planos de investimento e as plataformas de tecnologia para manter suas ofertas de e-commerce competitivas nos próximos anos, segundo a consultoria.

  • Comércio sem contato - A economia Low-Touch veio para ficar e o comércio eletrônico continuará a se beneficiar dela. Em 2024, 80% dos pedidos e reabastecimento serão sem contato para a maioria das organizações. Consumidores e companhias começarão a ver mais lojas físicas checkout-free. Mais organizações vão oferecer pagamentos sem contato, coleta e entrega sem contato para clientes e permitir operações de comércio sem contato, usando robótica, inteligência artificial (IA) e visão computacional para ajudar os funcionários com merchandising de loja, preços e coleta e embalagem em armazéns.
  • Configuração Visual - Ferramentas digitais permitirão que representantes de vendas e clientes tenham acesso a uma representação visual 2D ou 3D do produto que desejam solicitar, com as opções e recursos que selecionaram, sem a necessidade de visitar um showroom físico.
  • Consumerização B2B - As expectativas do segmento B2B (Business to Business) estão hoje focadas nas mesmas funcionalidades, experiências e estratégias que são oferecidas ao comércio B2C para envolver os clientes, como chat ao vivo, chat de vídeo, aplicativos sociais e móveis. A pandemia acelerou e consolidou esse movimento.
  • Enterprise Marketplace - São mercados online operados por organizações que permitem que vendedores terceirizados vendam diretamente aos clientes finais. Representam não apenas um novo conjunto de tecnologias para impulsionar a receita do comércio digital, mas também uma mudança fundamental no modelo de negócios para as organizações comerciais, impulsionando-as em direção aos negócios digitais. A ideia é um foco maior em canais próprios de comércio eletrônico.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Experimente grátis por 30 dias

Coronavírus muda o perfil do e-commerce

Economia Digital

Coronavírus muda o perfil do e-commerce

Pagamentos contactless e compras online de supermercados e mercearias são novos hábitos dos consumidores que vão impactar o setor nos próximos cinco anos

Por Redação The Shift
Fábrica conta com produção inteligente e compartilhada

Inovação

Fábrica conta com produção inteligente e compartilhada

O maquinário robótico é integrado a sensores de IoT e algoritmos de IA capazes de otimizar a produção a partir dos dados das plataformas de e-commerce da Alibaba

Por Redação The Shift
Varejo: como fica a economia pós-Covid

Tendências

Varejo: como fica a economia pós-Covid

A frase “O varejo não voltará ao que era antes da crise” diz tudo: o relatório da SBVC aponta que 70% pretendem comprar mais em sites ou aplicativos, mesmo depois da crise do Covid-19

Por Redação The Shift