s
Créditos: (Giorgio Trovato/Unsplash)
ECONOMIA

Startups latinas recebem US$ 28,6 bilhões em 5 anos

Relatório da Movile em parceria com o Distrito indica crescimento do ecossistema latino de inovação e mostra como a região já recuperou de crises anteriores.

As demissões e a desaceleração do surgimento de unicórnios dos últimos meses serviram de alerta para as startups e firmas de Venture Capital de que o mercado é instável - não é porque os aportes de capital foram recorde em um ano que isso vai se repetir. Como resume o CEO da Movile, Patrick Hruby, no relatório “Panorama Latam: 5 anos de investimento de risco na América Latina”: “se existe uma certeza no setor de investimentos, é que a mudança é uma constante". O estudo mostra que, apesar da piora do mercado em 2022, os últimos anos foram de crescimento e amadurecimento do ecossistema de inovação latino. Entre 2017 e 2021, as startups dos quatro países analisados (Brasil, México, Colômbia e Argentina) receberam US$ 28,6 bilhões, dos quais 51% foram captados no ano passado.

O relatório foi encomendado pela Movile ao Distrito com o intuito de mostrar que a atual instabilidade é mais uma dentro de um ciclo constante de crescimento. Um momento similar ocorreu com o começo da pandemia, evento que fez com que o valor aportado nas startups caíssem 4% em 2020, apesar do crescimento de 6% no número de deals. Depois, a região se recuperou ao registrar um aumento de 184% no volume investido em 2021. Na visão dos autores do estudo, a recuperação é reflexo da retomada da economia e da maturidade do ecossistema de startups, especialmente as fintechs, responsáveis por 38,5% do total investido nessa meia década.

“Os investimentos de risco na região vêm crescendo ao longo dos anos. E, embora enfrente alguns momentos de restrição, como em 2020 e agora, a inovação e a maturidade das startups da América Latina seguem avançando. Com o contexto global, esse ano será de investimentos mais criteriosos. Portanto, é importante que as startups redobrem o foco no seu “core”, evitando distrações desnecessárias. Crescimento é fundamental, mas hoje, mais do que nunca, precisa vir acompanhado de “unit economics” saudáveis. O mercado pode estar incerto, mas a resiliência a choques econômicos e políticos é uma fortaleza dos empreendedores da região”, comenta o CEO da Movile.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

2021: o ano dos unicórnios

Inovação

2021: o ano dos unicórnios

Metade dos unicórnios "puros" brasileiros surgiram em 2021, confira a lista completa

Por Marina Hortélio
Unicórnios latino-americanos miram oportunidades no Brasil

Economia

Unicórnios latino-americanos miram oportunidades no Brasil

A entrada de startups bilionárias da América Latina no Brasil pode ser uma passo importante para a expansão internacional das empresas

Por Marina Hortélio
Novas demissões são um sinal negativo para o mercado

Economia

Novas demissões são um sinal negativo para o mercado

Em cinco meses de 2022, o número de demissões já se iguala ao total de 2021. Sinais de falta de liquidez atingem principalmente as scale-ups