s
A demanda por plataformas de saúde mental e por uma liderança baseada em empatia está crescendo em um cenário em que já se fala em transtornos de estresse pós-covid Crédito: Pixabay
TENDÊNCIAS

Startups ajudam empresas a priorizar saúde mental

Com soluções que facilitam o acesso ao atendimento psicológico e até medem o risco de desenvolvimento de uma doença mental, as startups ajudam as companhias a minimizarem seu impacto na saúde mental dos funcionários

Em 2022, o Burnout passou a ser classificado como um “fenômeno ligado ao trabalho" pela OMS. No texto da CID 11, que entrou em vigor em 1º de janeiro, a síndrome foi oficializada como “estresse crônico de trabalho que não foi administrado com sucesso”. Antes, era considerada um problema na saúde mental e um quadro psiquiátrico. A mudança deve acender um alerta para as empresas, que precisam se atentar ainda mais aos seus impactos na saúde mental dos trabalhadores. Com soluções digitais, as startups surgem como aliadas nessa jornada de prevenção das doenças mentais no ambiente de trabalho.

“É possível observar um paralelo com os distúrbios osteomusculares ocupacionais. Nas últimas décadas, foram criados mecanismos de segurança, leis, equipamentos de proteção individual e ginástica laboral porque era preciso reduzir o impacto do trabalho na saúde. Muitas pessoas eram afastadas por essas doenças. Na indústria criativa de hoje, o cérebro está sendo constantemente estimulado e as doenças mentais devem ser cada vez mais reforçadas como algo oriundo da relação com o trabalho. As empresas precisam se preocupar com esse tema ou vão ficar para trás. O assunto precisa deixar de ser um estigma”, afirma Rui Brandão, médico, CEO e Cofundador da startup Zenklub.

A importância da saúde mental nas empresas em 2022 vai além da mudança de classificação do Burnout. Cada vez mais, manter os bons funcionários também vai depender de boas práticas nesse tema. O relatório Business Bets 2022, da consultoria Sparks and Honey, aponta que a demanda por plataformas de saúde mental e por uma liderança baseada em empatia está crescendo em um cenário em que já se fala em transtornos de estresse pós-covid.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Trabalhadores esperam que CEOs sejam a

Tendências

Trabalhadores esperam que CEOs sejam a "face da mudança"

Mais de 70% das pessoas confiam nas empresas, mas a falta de confiança em governantes pode afetar ações de combate à pandemia e mudanças climáticas, aponta Barômetro de Confiança Edelman

Por Kate Whiting, Fórum Econômico Mundial
5 tendências que os unicórnios mudaram para sempre

Inovação

5 tendências que os unicórnios mudaram para sempre

Dos veículos elétricos à plataformização de serviços e ao welness virtual, os unicórnios mudaram negócios e todo mundo tem que correr para acompanhar

Controle, prazer e ética: tendências para o consumo em 2022

Tendências

Controle, prazer e ética: tendências para o consumo em 2022

O sentimento de precariedade e insegurança financeira faz com que as pessoas busquem recuperar um senso de controle sobre todos os aspectos da sua vida

Virtual influencers encontram o metaverso

Inteligência Artificial

Virtual influencers encontram o metaverso

Também nos ambientes 3D, os influenciadores virtuais podem humanizar toda a identidade de uma marca e se tornar a representação mais pessoal dos valores de uma empresa

Plataformas Low-Code e No-Code apoiam a transformação digital

Inovação

Plataformas Low-Code e No-Code apoiam a transformação digital

Startups Low-Code e No-Code permitem que empresas lancem produtos digitais mais rápido e com menos envolvimento das equipes de TI.

Por Marina Hortélio
Kwai aponta 8 tendências para as plataformas de vídeos curtos em 2022

Inovação

Kwai aponta 8 tendências para as plataformas de vídeos curtos em 202...

Plataformas de vídeos curtos, como Kwai e TikTok, ganharam força na pandemia e devem continuar crescendo em 2022

Por Marina Hortélio