s
INOVAÇÃO

Que metaverso, que nada. Essa é a era das descobertas aceleradas

Combinar partículas para formar novos materiais pode ser a próxima grande disrupção a criar mais e melhores produtos, soluções e negócios. E já tem muita organização grande trabalhando nessa frente

Por Silvia Bassi 04/11/2021

Esqueça o metaverso. As possibilidades de inovação e descobertas que podem mudar de vez o rumo de uma indústria inteira ou resolver velhos problemas da humanidade estão aqui mesmo, na velha e boa Terra feita de átomos, e o potencial de recombinação dessas partículas é virtualmente infinito, abrindo caminho para um universo de novos materiais.

O problema até pouco tempo era que isso custava muito caro e demorava muito, porque dependia de pessoas com jalecos brancos gastando horas e horas em laboratórios. E muitas das descobertas — do plástico ao Teflon, passando pelo Velcro e até pelo Grafeno — aconteceram por acaso. Agora, com Inteligência Artificial, Big Data, Machine Learning, computadores quânticos e supercomputadores, entramos na Era das Descobertas Aceleradas, como define o Vice-presidente sênior e diretor do IBM Research, Darío Gil.

A IBM tem seu projeto de aceleração, fundamentado em IA para o desenvolvimento de novos materiais que tornariam os computadores mais sustentáveis e ecológicos, por exemplo, mas o uso da tecnologia digital para expandir a inteligência humana ganha corpo no ecossistema acadêmico e de startups. A ideia é simples: jogar para a máquina a tarefa de combinar e recombinar estruturas atômicas sob diferentes condições de temperatura e pressão para descobrir coisas incríveis e soltar no mercado. Na Universidade de Liverpool, por exemplo, a IA já achou quatro novos materiais no último ano.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

É possível ter lucro fazendo o bem para a sociedade

Tendências

É possível ter lucro fazendo o bem para a sociedade

Quando as pessoas focam em iniciativas para tornar o mundo um lugar melhor, existe uma expectativa, falaciosa, de que a monetização não deve estar no topo da lista de prioridades

Por Redação The Shift
Uma revolução biológica vem aí

Inovação

Uma revolução biológica vem aí

Essa nova onda de inovação pode impactar diferentes áreas como saúde, agricultura, energia, novos materiais até bens de consumo, ajudando a enfrentar os desafios globais

Por Redação The Shift
O mercado gigante das coisas muito pequenas

Inovação

O mercado gigante das coisas muito pequenas

No mercado de nanotecnologia, as principais áreas de aplicação - eletrônicos, energia e biomedicina - aceleraram desde 2020

Por Silvia Bassi