s
Os games terão uma prevalência ainda maior com sua exploração em novos formatos e novos negócios Crédito: Pixabay
O SHIFT DA QUESTÃO

Os games vão invadir todas as praias?

A indústria de games é mais lucrativa do que o cinema em termos globais e as indústrias de esportes nos EUA

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio e Soraia Yoshida 24/07/2021

Conteúdo

Opa, já estão invadindo. A não ser que você tenha acabado de chegar de outro planeta, é difícil não notar como os games avançaram o sinal de entretenimento para invadir outros territórios, como as plataformas de comunicação digital e marketing, só para ficar citar duas. Embora o relatório “Global Games Market Report”, da NewZoo, traga uma projeção de declínio de -1,1%, o mercado global deverá atingir quase US$ 176 bilhões. Isso se traduz em 2,9 bilhões de jogadores em todo o mundo. O report afirma que não há razão para se preocupar.

Em 2020, a pandemia que levou ao isolamento social provocou uma corrida para a aquisição de jogos em todas as plataformas. Nunca tantos jogaram tanto por tanto tempo.

As vendas de jogos para celular em iPhones aumentaram 44% no Japão e 20% na União Europeia em julho, de acordo com dados da Sensor Tower. Nos Estados Unidos, 55% das pessoas pegaram videogames – por causa do tédio, para escapar do mundo real, para socializar – durante a primeira fase do isolamento, segundo análise da SuperData, da Nielsen.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

O que são gêmeos digitais?

O Shift da Questão

O que são gêmeos digitais?

Réplicas virtuais de sistemas físicos que podem modelar, simular, monitorar, analisar e otimizar constantemente o mundo físico, e estão no centro da inovação nessa era digital

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio e Rosane Serro

Entrevista

"Tudo que fazemos em inovação é para a agenda de sustentabilidade"

Com o lançamento de um fundo de corporate venture capital de US$ 70 milhões, a Suzano sai em busca das Deep Techs para acelerar sua estratégia de "inovabilidade", explica Julio Ramundo.

Nem todo verde é green

Sustentabilidade

Nem todo verde é green

Autoridades de vários países aumentam o cerco contra o greenwashing. O Brasil segue sem um arcabouço regulatório satisfatório que mapeie todo o ciclo do processo, contando apenas com medidas isoladas.

Hora de desconfiar de tudo e todos

Tendências

Hora de desconfiar de tudo e todos

Os deepfakes criam um campo de distorção da realidade que ameaça adversamente a política, os negócios e a percepção da história e podem até serem usados ​​em aplicações militares. Acione seus radares.

Como queremos que os robôs sejam?

Robótica

Como queremos que os robôs sejam?

Isaac Asimov já estava impaciente. As pesquisas a respeito da interação homem-máquina avançam e estamos passamos do estágio da automação para o de autonomia. Mas como lidar com essa complexidade?

O que esperar do Open Finance?

O Shift da Questão

O que esperar do Open Finance?

Muito além de mudanças regulatórias, estamos diante de uma transformação que abrirá um mundo de oportunidades para e em parceria com o setor financeiro