s
Os games terão uma prevalência ainda maior com sua exploração em novos formatos e novos negócios Crédito: Pixabay
O SHIFT DA QUESTÃO

Os games vão invadir todas as praias?

A indústria de games é mais lucrativa do que o cinema em termos globais e as indústrias de esportes nos EUA

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio e Soraia Yoshida 24/07/2021

Conteúdo

Opa, já estão invadindo. A não ser que você tenha acabado de chegar de outro planeta, é difícil não notar como os games avançaram o sinal de entretenimento para invadir outros territórios, como as plataformas de comunicação digital e marketing, só para ficar citar duas. Embora o relatório “Global Games Market Report”, da NewZoo, traga uma projeção de declínio de -1,1%, o mercado global deverá atingir quase US$ 176 bilhões. Isso se traduz em 2,9 bilhões de jogadores em todo o mundo. O report afirma que não há razão para se preocupar.

Em 2020, a pandemia que levou ao isolamento social provocou uma corrida para a aquisição de jogos em todas as plataformas. Nunca tantos jogaram tanto por tanto tempo.

As vendas de jogos para celular em iPhones aumentaram 44% no Japão e 20% na União Europeia em julho, de acordo com dados da Sensor Tower. Nos Estados Unidos, 55% das pessoas pegaram videogames – por causa do tédio, para escapar do mundo real, para socializar – durante a primeira fase do isolamento, segundo análise da SuperData, da Nielsen.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Afinal, o que é Web3?

O Shift da Questão

Afinal, o que é Web3?

A Web3 promete transformar a experiência de estar online de forma tão dramática quanto os PCs e smartphones fizeram em dado momento da nossa jornada tecnológica

O que se passa na cabeça dessas pessoas?

O Shift da Questão

O que se passa na cabeça dessas pessoas?

Elon Musk comprou o Twitter e agora o mundo quer entender como funciona a cabeça das pessoas com muito dinheiro no bolso, que podem quebrar ou criar negócios

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio e Silvia Bassi
Mas afinal, o que é DeFi?

O Shift da Questão

Mas afinal, o que é DeFi?

A sigla se refere a Finanças Descentralizadas, uma verdadeira revolução na maneira como realizamos operações financeiras

Por Cristina De Luca e Soraia Yoshida
Quais foram as principais inovações impulsionadas pela pandemia?

O Shift da Questão

Quais foram as principais inovações impulsionadas pela pandemia?

A pandemia trouxe muita dor e sofrimento para o planeta. Trouxe também mudanças, principalmente na maneira como vivemos, como convivemos e valorizamos o que nos rodeia. Após dois anos de pandemia, decretada em 11 de março de 2020 pela O...

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio, Silvia Bassi e Soraia Yoshida
A ciberguerra é uma ameaça real?

O Shift da Questão

A ciberguerra é uma ameaça real?

Daqui para frente, toda e qualquer guerra será lutada no mundo real e no domínio digital. As guerras híbridas, queiramos ou não, vieram para ficar

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio, Silvia Bassi e Soraia Yoshida
Reciclar? Reusar? Ou reduzir?

O Shift da Questão

Reciclar? Reusar? Ou reduzir?

Você já parou para pensar quanto lixo é produzido dentro da sua casa todos os dias? E quanto disso é reaproveitado, reciclado ou reutilizado? Já pensou em reduzir? Enquanto não houver colônias em Marte, estamos todos aqui dividindo o...

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio, Silvia Bassi e Soraia Yoshida