s
Os games terão uma prevalência ainda maior com sua exploração em novos formatos e novos negócios Crédito: Pixabay
O SHIFT DA QUESTÃO

Os games vão invadir todas as praias?

A indústria de games é mais lucrativa do que o cinema em termos globais e as indústrias de esportes nos EUA

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio e Soraia Yoshida 24/07/2021

Conteúdo

Opa, já estão invadindo. A não ser que você tenha acabado de chegar de outro planeta, é difícil não notar como os games avançaram o sinal de entretenimento para invadir outros territórios, como as plataformas de comunicação digital e marketing, só para ficar citar duas. Embora o relatório “Global Games Market Report”, da NewZoo, traga uma projeção de declínio de -1,1%, o mercado global deverá atingir quase US$ 176 bilhões. Isso se traduz em 2,9 bilhões de jogadores em todo o mundo. O report afirma que não há razão para se preocupar.

Em 2020, a pandemia que levou ao isolamento social provocou uma corrida para a aquisição de jogos em todas as plataformas. Nunca tantos jogaram tanto por tanto tempo.

As vendas de jogos para celular em iPhones aumentaram 44% no Japão e 20% na União Europeia em julho, de acordo com dados da Sensor Tower. Nos Estados Unidos, 55% das pessoas pegaram videogames – por causa do tédio, para escapar do mundo real, para socializar – durante a primeira fase do isolamento, segundo análise da SuperData, da Nielsen.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Para onde vai a Impressão 3D?

O Shift da Questão

Para onde vai a Impressão 3D?

Casas instantâneas, peças de reposição por demanda, órgãos humanos artificiais, bife e chocolate? Pelo andar da carruagem, é possível prever que em breve haverá uma impressora 3D (ou um produto dela) no seu caminho. E até fora del...

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio, Silvia Bassi e Soraia Yoshida
O 5G chegou. E agora?

O Shift da Questão

O 5G chegou. E agora?

A nova tecnologia deve acelerar o avanço em áreas como logística, telemedicina, produção industrial. Mas chega atrasada. Dá para recuperar o tempo perdido?

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio, Silvia Bassi e Soraia Yoshida
Quem ganha com a Economia dos Criadores?

O Shift da Questão

Quem ganha com a Economia dos Criadores?

Quantos likes teve seu último post? E como foi o impacto do seu comentário que movimentou amigos e fãs? Agora, imagine que assim como você, há milhões de pessoas postando conteúdos todos os dias. É dessa possibilidade de ganhar visi...

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio, Silvia Bassi e Soraia Yoshida
O que estressa você na internet?

O Shift da Questão

O que estressa você na internet?

"Transtorno de estresse das manchetes" e Fear of Missing Out (FOMO) são dois exemplos das angústias da era digital. O que estressa você na internet, esse lugar em que passamos, atualmente, a média de sete horas por dia?

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio e Silvia Bassi
Qual é o legado do 11 de setembro?

O Shift da Questão

Qual é o legado do 11 de setembro?

Vinte anos após o ataque terrorista que destruiu as Torres Gêmeas, uma parte do Pentágono e deixou quase 3 mil mortos, o que mudou na tecnologia e nos negócios?

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio e Soraia Yoshida
Para onde vai a nova economia?

O Shift da Questão

Para onde vai a nova economia?

A Economia Espacial é composta por fabricantes de foguetes e satélites, infraestrutura de telecomunicações e internet, pesquisadores de mudanças climáticas, setores de defesa e mais

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio, Silvia Bassi e Soraia Yoshida