s
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Open Finance vai mais longe com dados enriquecidos

Ao economizarem tempo no consumo de insights, em vez de dados brutos, as instituições financeiras construirão melhores serviços, explica Albert Morales, diretor-geral da Belvo

Há mais ou menos três anos, uma dupla de “disruptores apaixonados”, disposta a mudar regras e a fazer as coisas em uma forma digital diferente, mais simples e justa, cruzou o caminho de Albert Morales. Na época, um jovem catalão, com uma trilha profissional promissora no mercado financeiro europeu. Recebeu deles o convite de estruturar, no Brasil, as operações de uma startup decidia a ser um one-stop-shop para consumo de dados via Open Finance.

Em maio de 2020, Albert abriu a Belvo no país. Em outubro do mesmo ano, começou a operar, e este ano, deu início `expansão das atividades para toda a América Latina, começando pelo México. “Somos uma empresa de dados”, define ele. “Adaptamos o enriquecimento de dados a todo o escopo do Open Banking, permitindo que os clientes já consumam uma informação com insights”.

Na prática, junto com seus serviços de agregação, a startup construiu uma série de produtos de enriquecimento de dados usados pelos bancos no desenvolvimento de modelos de análise de risco mais robustos, por exemplo. A plataforma da empresa tem conexão com mais de 60 instituições, incluindo grandes bancos como Banco do Brasil (BB), Bradesco, Itaú, bancos digitais como Nubank e Inter, além de players da Gig Economy, como Uber e Rapy.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

O J.A.R.V.I.S. está mais próximo

Inteligência Artificial

O J.A.R.V.I.S. está mais próximo

Os lançamentos do GPT-4o da OpenAi e o Project Astra do Google mostram que as inteligências artificiais vistas no cinema estão cada vez mais próximas da realidade.

O BYOAI já está entre nós

Inteligência Artificial

O BYOAI já está entre nós

Os colaboradores estão cada vez mais utilizando ferramentas de inteligência artificial no trabalho por conta própria, revela estudo da Microsoft.

Com tanta urgência no mundo, será que dá para falar em desacelerar? 

Tendências

Com tanta urgência no mundo, será que dá para falar em desacelerar?...

É importante pensar no assunto, porque esse é o grande desejo dos consumidores segundo a 10⁠ª edição do The Future 100, realizado pelo grupo de publicidade VML

Modelos de linguagem têm limite?

Inteligência Artificial

Modelos de linguagem têm limite?

O lançamento do Phi-3 e do Snowflake Arctic mostra como os novos modelos de linguagem estão cada vez mais avançados.

LLMs autoevolutivos avançam

Inteligência Artificial

LLMs autoevolutivos avançam

E se os grandes modelos de linguagem pudessem aprender com as próprias experiências, sem intervenção humana? Essa é uma área de pesquisa promissora, mas há obstáculos a superar.

A IA matará a Web?

Inteligência Artificial

A IA matará a Web?

O que está em jogo quando o excesso de conteúdo sintético se encontra com os LLMOs, mecanismos de otimização de conteúdos para busca alimentada IA?