s
Crédito: Divulgação
O SHIFT DA QUESTÃO

O que são gêmeos digitais?

Réplicas virtuais de sistemas físicos que podem modelar, simular, monitorar, analisar e otimizar constantemente o mundo físico, e estão no centro da inovação nessa era digital

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio e Rosane Serro 03/09/2022

Imagine poder contar com uma cópia virtual exata de algo no mundo físico (qualquer coisa… inclusive o seu próprio corpo), equipada com vários sensores que produzem dados sobre seu comportamento em situações simuladas, transmitidos em tempo real para sistemas inteligentes encarregados de identificar e analisar possíveis problemas de desempenho e sugerir correções e melhorias… Imaginou? Isso é um gêmeo digital (ou Digital Twin, no inglês).

Embora, nos últimos nos, as modernas tecnologias digitais tenham tornado o conceito mais acessível, ele não é novo. Alguns autores atribuem sua criação à NASA, durante suas missões de exploração espacial da década de 1960, quando cada espaçonave em viagem foi replicada exatamente em uma versão terrestre usada para fins de estudo e simulação. Mas, naquela época - até o início dos anos 2000 - a conectividade, a computação, o armazenamento de dados e a largura de banda necessários para processar grandes volumes de dados envolvidos na criação de gêmeos digitais tinham um custo proibitivo.

Hoje, já melhorou bastante.  O uso dos gêmeos digitais está ganhando força graças aos recursos de simulação e modelagem em rápida evolução, melhor interoperabilidade e sensores e mais disponibilidade de ferramentas e infraestrutura de computação.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Um planeta sob nova direção

Tendências

Um planeta sob nova direção

Homem e natureza são parte do mesmo sistema interconectado. Se um destrói o outro, sucumbirá em seguida. Com esta certeza, universidades, ONGs e empresas privadas estão se unindo para criar centros de conhecimento de Desenvolvimento Reg...

Todo poder ao hidrogênio verde

Sustentabilidade

Todo poder ao hidrogênio verde

O hidrogênio verde é elemento central da transição energética rumo à meta de emissões líquidas zero em 2050 e há um boom de registros de patentes relacionados para as formas de produção, armazenamento e distribuição. A concorr...

RH, equilibrista de pratos em 2023

Gestão

RH, equilibrista de pratos em 2023

Se dizemos que, nos últimos tempos, a vida do CEO não tem sido fácil, imagine a dos gestores de talentos? Tendo que disputar profissionais em um mercado de demanda aquecida, retê-los e ainda promover um ambiente de inovação que qualif...

Embedded Finance, a bola da vez

DeFi

Embedded Finance, a bola da vez

Consumidores em escala mundial, inclusive no Brasil, consideram mudar de banco ou de provedores de serviços financeiros para um canal de marca não financeiro com oferta de serviços mais personalizados e contextualizados. O mercado de Emb...

2023: um ano de ventos e trovoadas

Tendências

2023: um ano de ventos e trovoadas

Lá fora recessão. No Brasil, transformação. O ano de 2023 promete mares bravios para os CEOS - capitães fortalecidos pela tempestade-pandemia e seus rescaldos no ambiente corporativo. A THE SHIFT mapeou as tendências que podem afetar...

Ficção científica, melhor que Power Point

Inovação

Ficção científica, melhor que Power Point

Neal Stephenson criou o termo e a ideia de metaverso em 1992 . Agora ele quer garantir que o futuro não seja distópico e que a Web3 seja realmente aberta. Para isso criou a Lamina1 e está montando uma nova blockchain