s
A confiança está muito ligada à expectativa em relação ao que o outro está nos oferecendo Crédito: Bernard Hermant/Unsplas
O SHIFT DA QUESTÃO

Em quem você confia?

O tamanho da confiança está diretamente relacionado à diferença entre o nível de expectativa das pessoas e a devolutiva das empresas, mídia e governo, a cada interação. Em tempos digitais e pandêmicos, a confiança virou um alvo móvel.

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio, Silvia Bassi e Soraia Yoshida 29/01/2022

Conteúdo

Posso confiar em você? A frase não é só uma pergunta, é uma declaração de expectativa. De pessoa para pessoa, empresa para empresa, clientes para marcas, população para governo, leitores para mídia, usuários para empresas de tecnologia, funcionários para empregadores. A diferença entre a expectativa e a entrega, para cima ou para baixo, vai determinar o futuro da relação e criar ou cancelar engajamento e fidelização.

Em tempos digitais, há uma mudança de paradigma definitiva em relação às expectativas sobre as empresas, de funcionários e clientes, escreve Caitlin Strempel, CEO da Rising Ranks Digital.  O modelinho "business as usual" já não funciona mais. "Com maior conectividade e opções, os consumidores têm maiores expectativas sobre as empresas, mas também mais ceticismo em relação às marcas. Os funcionários também esperam mais, especialmente no novo normal pós pandemia", diz Strempel.

A confiança das pessoas passou a ser um alvo móvel para as empresas, aponta a 25a edição do Brand Keys Customer Loyalty Engagement Index, da consultoria norte-americana Brand Keys. A fidelidade passa pela habilidade das marcar de mudar rapidamente ao sabor das mudanças do cenário e dos clientes, explica Robert Passikoff, CEO da Brad Keys. O ano que começa tem, segundo Passikoff, a maior diferença entre expectativa de clientes e entrega das marcas dos últimos 25 anos. E o processo de decisão, que em 1997 era 60% emocional e 40% racional passou a ser 80% emocional e 20% racional.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

O que é CRISPR?

Tendências

O que é CRISPR?

A resposta simples? Uma tecnologia usada para editar genes e mudar o mundo! O CRISPR tem "impacto revolucionário nas ciências da vida", segundo o comitê do Prêmio Nobel, que concedeu às pesquisadoras o Nobel de Química, em 2020

O que são gêmeos digitais?

O Shift da Questão

O que são gêmeos digitais?

Réplicas virtuais de sistemas físicos que podem modelar, simular, monitorar, analisar e otimizar constantemente o mundo físico, e estão no centro da inovação nessa era digital

Por Cristina De Luca, Marina Hortélio e Rosane Serro

Entrevista

"Tudo que fazemos em inovação é para a agenda de sustentabilidade"

Com o lançamento de um fundo de corporate venture capital de US$ 70 milhões, a Suzano sai em busca das Deep Techs para acelerar sua estratégia de "inovabilidade", explica Julio Ramundo.

Nem todo verde é green

Sustentabilidade

Nem todo verde é green

Autoridades de vários países aumentam o cerco contra o greenwashing. O Brasil segue sem um arcabouço regulatório satisfatório que mapeie todo o ciclo do processo, contando apenas com medidas isoladas.

Hora de desconfiar de tudo e todos

Tendências

Hora de desconfiar de tudo e todos

Os deepfakes criam um campo de distorção da realidade que ameaça adversamente a política, os negócios e a percepção da história e podem até serem usados ​​em aplicações militares. Acione seus radares.

Como queremos que os robôs sejam?

Robótica

Como queremos que os robôs sejam?

Isaac Asimov já estava impaciente. As pesquisas a respeito da interação homem-máquina avançam e estamos passamos do estágio da automação para o de autonomia. Mas como lidar com essa complexidade?