s
Nathan Yoles VP de Growth da Weel
ENTREVISTA

Crédito movido a algoritmos

Crédito, um dos recursos mais procurados nesse momento, é o que move a Weel, uma startup "mezzo brasileira, mezzo israelense" que, em menos de 4 anos, tornou-se uma estrela no mapa de fintechs locais

Por Silvia Bassi 17/04/2020

Crédito, um dos recursos mais procurados nesse momento de pandemia e crise econômica, é o que move a Weel, uma startup "mezzo brasileira, mezzo israelense" que, em menos de 4 anos, tornou-se uma estrela brilhante no mapa de fintechs locais, entrando para o clube dos "soonicorns" (startups que devem atingir valor de mercado de US$ 1 bi), ao movimentar crédito de R$ 800 milhões para pequenas e médias empresas, deixadas em segundo plano pelos bancos tradicionais, exibindo uma taxa de inadimplência de apenas 1%.

"A semente da Weel é a inteligência de dados. A gente se considera uma empresa de inteligência de dados que monetiza essa inteligência a partir do crédito para PMEs, porque entendemos que é o mercado mais ineficiente e que tem a maior oportunidade, o mais difícil de fazer negócio", diz Nathan Yoles, VP de Growth da Weel, o disruptor da semana na The Shift.

Em fevereiro, a Weel recebeu um aporte de R$ 80 milhões (em equity) do BV (Banco Votorantim), e acesso a uma linha de crédito de até R$ 800 milhões para continuar crescendo em um mercado que tem um impacto importante na economia do país, sem precisar abrir uma agência sequer. "Sem precisar sair do escritório, a gente consegue dar crédito para clientes em Manaus ou no Rio Grande do Sul", diz Nathan. Confira a conversa.

Disrupção é...

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

O relatório 'The CMO Survey' mapeia a transformação digital no marketing

Economia Digital

O relatório 'The CMO Survey' mapeia a transformação digital no mark...

E, surpresa... ela progride lentamente. Poucas empresas têm uma jornada digital de marketing institucionalizada. Mais da metade ainda a consideram em fase emergente

Magnus Larsson, o banqueiro dos invisíveis

Fintechs

Magnus Larsson, o banqueiro dos invisíveis

Ele é CEO e cofundador do Majority, neobanco que ajuda os imigrantes a acessar serviços financeiros

As expedições da Darwin pelos trópicos digitais

Entrevista

As expedições da Darwin pelos trópicos digitais

Como o naturalista que inspirou o nome da aceleradora catarinense, Marcos Mueller, CEO da Darwin Startups, lança sua terceira expedição, com R$ 80 milhões em caixa e um novo sócio-investidor

E se você pudesse projetar as funções de um organismo vivo?

Entrevista

E se você pudesse projetar as funções de um organismo vivo?

Foi isso o que Lionel Mora e Patrick Torbey fizeram ao criar a Neoplants, especializada em plantas geneticamente modificadas para purificação do ar em ambientes internos

e-Commerce aposta em recuperação

Economia Digital

e-Commerce aposta em recuperação

O comércio eletrônico brasileiro vem tendo o pior início de ano da sua história, mas os indicadores econômicos e o comportamento do consumidor apontam para um segundo semestre melhor

Crypto com dupla personalidade

Economia Digital

Crypto com dupla personalidade

O mercado norte-americano de criptoativos celebrou ontem a vitória parcial em um processo movido pela SEC contra a Ripple