s
Nathan Yoles VP de Growth da Weel
ENTREVISTA

Crédito movido a algoritmos

Crédito, um dos recursos mais procurados nesse momento, é o que move a Weel, uma startup "mezzo brasileira, mezzo israelense" que, em menos de 4 anos, tornou-se uma estrela no mapa de fintechs locais

Por Silvia Bassi 17/04/2020

Crédito, um dos recursos mais procurados nesse momento de pandemia e crise econômica, é o que move a Weel, uma startup "mezzo brasileira, mezzo israelense" que, em menos de 4 anos, tornou-se uma estrela brilhante no mapa de fintechs locais, entrando para o clube dos "soonicorns" (startups que devem atingir valor de mercado de US$ 1 bi), ao movimentar crédito de R$ 800 milhões para pequenas e médias empresas, deixadas em segundo plano pelos bancos tradicionais, exibindo uma taxa de inadimplência de apenas 1%.

"A semente da Weel é a inteligência de dados. A gente se considera uma empresa de inteligência de dados que monetiza essa inteligência a partir do crédito para PMEs, porque entendemos que é o mercado mais ineficiente e que tem a maior oportunidade, o mais difícil de fazer negócio", diz Nathan Yoles, VP de Growth da Weel, o disruptor da semana na The Shift.

Em fevereiro, a Weel recebeu um aporte de R$ 80 milhões (em equity) do BV (Banco Votorantim), e acesso a uma linha de crédito de até R$ 800 milhões para continuar crescendo em um mercado que tem um impacto importante na economia do país, sem precisar abrir uma agência sequer. "Sem precisar sair do escritório, a gente consegue dar crédito para clientes em Manaus ou no Rio Grande do Sul", diz Nathan. Confira a conversa.

Disrupção é...

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Com ETF, Hashdex aposta no DeFi

Inovação

Com ETF, Hashdex aposta no DeFi

As finanças descentralizadas vem ganhando notoriedade com a premissa de disruptarem o setor financeiro.

Por Marina Hortélio
A transformação digital também causa desigualdade

Inovação

A transformação digital também causa desigualdade

As políticas públicas precisam acompanhar os avanços tecnológicos para reduzir as desigualdades causadas pela tecnologia.

Por Zia Qureshi, Banco Mundial
Logtechs digitalizam o transporte rodoviário

Inovação

Logtechs digitalizam o transporte rodoviário

As soluções digitais das startups trazem mais eficiência e transparência para a matriz de transporte mais importante da logística brasileira.

Por Marina Hortélio

Entrevista

"Compre agora, pague depois", em ritmo de América Latina

O BNPL (Buy Now, Pay Later), crédito online parcelado, faz sucesso nos EUA impulsionado pela geração Z. Na América Latina, a fintech colombiana Addi foca no lado inclusivo da tecnologia, e entra no Brasil usando o PIX como forma de cheg...

Plataformas Low-Code e No-Code apoiam a transformação digital

Inovação

Plataformas Low-Code e No-Code apoiam a transformação digital

Startups Low-Code e No-Code permitem que empresas lancem produtos digitais mais rápido e com menos envolvimento das equipes de TI.

Por Marina Hortélio
Destino de moradia: o novo posicionamento do QuintoAndar

Economia Digital

Destino de moradia: o novo posicionamento do QuintoAndar

Nova identidade marca uma virada nos negócios da proptech, que agora quer ir além do aluguel e cuidar de tudo para que as pessoas morem melhor: da administração do condomínio às reformas