s
TENDÊNCIAS

Consórcio na ponta dos dedos, mas só para mulheres

Startup nasce para democratizar o acesso ao crédito programado na modalidade de consórcio, usando exclusivamente canais digitais

O propósito? Democratizar o acesso ao crédito justo. A crença? A de que o esforço coletivo das mulheres poderia fazer isso acontecer. O meio? A criação de um fintech focada em consórcios, dedicada exclusivamente a elas. Assim, no início de 2021, nasceu a fintech eutbem, focada em ajudar mulheres a realizarem seus planos de empreender, estudar, reformar a casa, viajar, pagar uma cirurgia plástica, a festa de 15 anos da filha e o que mais desejarem, através do conceito de crédito programado, que cabe no bolso (ou bolsas).

Autorizada pelo Banco Central, que regulamenta o setor de consórcios, e associada da ABAC – Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio, a eutbem vem desintermediando a venda de consórcios, feita hoje quase que exclusivamente pelos grandes bancos e conglomerados financeiros. A contratação do consórcio pode ser feita 100% de forma digital, site, por telefone ou WhatsApp , e já conta com a opção de pagamento via PIX.

O primeiro grupo, com foco em serviços, foi formado no fim do ano passado e já teve as primeiras contempladas. O funcionamento é o mesmo do consórcio tradicional. Todo mês cada participante coloca um valor, estipulado antecipadamente como parcelas, em um fundo. O montante é sorteado e destinado, na forma de carta crédito, para que alguém do grupo adquira determinado bem ou serviço. Os sorteios ocorrem gradativamente, com frequência pré-estabelecida, até que todos os participantes tenham sido contemplados e recebam o valor que foi depositado nas parcelas.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Bancos devem inovar mais para continuarem competitivos

Tendências

Bancos devem inovar mais para continuarem competitivos

Principalmente explorar oportunidades para aumentar os recursos de pagamentos por meio de DLTs, CDBCs, tokenização e outras soluções

2023, o ano do Defi 3.0?

Tendências

2023, o ano do Defi 3.0?

Projetos FaaS (Farming as a Service) pedem passagem no universo das finanças descentralizadas

Um mapa para a nova era

Inovação

Um mapa para a nova era

O artigo “On the cusp for a New Era”, publicado pelo McKinsey Global Institute esta semana, propõe uma reflexão se – em um cenário aparentemente distópico - encontraremos o próximo motor de produtividade para impulsionar o cresci...

Quem será e como atender o consumidor do futuro?

Tendências

Quem será e como atender o consumidor do futuro?

A tese de investimento "melhor para você", da Forerunner Ventures, dá um bom cheiro do que esperar como próxima grande inovação no mercado de consumo

Frustração domina o metaverso

Tendências

Frustração domina o metaverso

O Horizon Worlds tem se mostrado um ambiente cheio de bugs, impopular até com os funcionários da Meta. Outras plataformas imersivas também se encontram vazias

Smart contracts podem ser um problema para as DAOs

Tendências

Smart contracts podem ser um problema para as DAOs

Um dos mais relevantes é o risco de perderem sua essência e se tornarem espelho dos sistemas jurídicos atuais, quando foram pensadas para servir como substitutas menos burocráticas e morosas

Por Fernanda Villela Viana *