s
Crédito: Pexels
INOVAÇÃO

Como desenvolver imunidade de rebanho à inovação

O mercado publicitário ajudou a difundir a ideia de que são ferramentas que levam à criatividade, dando a ideia de que inovar é fácil e divertido, quando pode ser um processo bem sofrido

Por Soraia Yoshida 21/06/2021

Brainstorming e Design Thinking são duas metodologias que caíram no “gosto popular” corporativo e são usadas para quase tudo como sinônimo de ideação e inovação, inclusive em argumentos em que nem chegaram perto. O mercado publicitário ajudou a difundir a ideia de que são ferramentas que levam à criatividade – dando a seus usuários a ilusão de que inovar é fácil e divertido, escreve Amnon Levav, cofundador e diretor de inovação da SIT - Systematic Inventive Thinking Ltd.

"O brainstorming, famoso por sua invenção independente, mas quase simultaneamente, por Alex Osborn e Walt Disney no início dos anos 50, desempenhou um papel importante em seus primeiros dias na promoção da criatividade e da inovação, especialmente no mundo corporativo. Os executivos anteriormente oprimidos de repente receberam uma “licença para não matar” e, mais importante, para não ser morto, que lhes permitiu expor suas ideias em relativa segurança. Na cultura hierárquica fechada daquela época, isso era inestimável e contribuiu para uma verdadeira revolução cultural", escreve Levav.

Segundo ele, o brainstorming continua sendo uma ferramenta que pode ajudar a motivar os participantes a serem ativos em uma discussão com o objetivo de compartilhar ideias que já têm e de promover a formação de equipes. Então, o que há para não gostar? O fato de que quem propõe seu uso normalmente afirma que é "um método confiável para gerar novas idéias", critica Levav. "Não é, e isso é confirmado repetidamente pela experiência de seus usuários corporativos. Uma busca rápida por 'pesquisas mostrando que o brainstorming não funciona' fornece bastante material para comprovar esse fato", sugere

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Palavras têm poder. A linguagem inclusiva também em tech

Diversidade

Palavras têm poder. A linguagem inclusiva também em tech

Hora de revisitar os termos e palavras de tecnologia que podem reforçar preconceito racial ou outro preconceito discriminatório. A Universidade de Washington criou uma lista com 85 deles.

Cartões biométricos prometem revolucionar pagamentos e muito mais

Inovação

Cartões biométricos prometem revolucionar pagamentos e muito mais

E os brasileiros estão entre os primeiros usuários no mundo. Pilotos já estão em andamento no país

Com ETF, Hashdex aposta no DeFi

Inovação

Com ETF, Hashdex aposta no DeFi

As finanças descentralizadas vem ganhando notoriedade com a premissa de disruptarem o setor financeiro.

Por Marina Hortélio
A transformação digital também causa desigualdade

Inovação

A transformação digital também causa desigualdade

As políticas públicas precisam acompanhar os avanços tecnológicos para reduzir as desigualdades causadas pela tecnologia.

Por Zia Qureshi, Banco Mundial
Logtechs digitalizam o transporte rodoviário

Inovação

Logtechs digitalizam o transporte rodoviário

As soluções digitais das startups trazem mais eficiência e transparência para a matriz de transporte mais importante da logística brasileira.

Por Marina Hortélio
C-levels e o paradoxo da inovação

Inovação

C-levels e o paradoxo da inovação

Sem se libertar do passado será impossível percorrer caminhos conhecidos que garantam estabilidade e se permitir encontrar os atalhos que alavancarão a inovação e impulsionarão o futuro