s
Crédito: Kervin Edward Lara - Unsplash

INOVAÇÃO

Cinco inovações que ajudarão a tornar o mundo mais sustentável

Elas são as respostas do IBM Research sobre como usar a tecnologia para reinventar o design e a descoberta de materiais para o desenvolvimento de soluções sustentáveis ​​para os problemas diários

Por 24/09/2020

Todos os anos, a IBM apresenta cinco maneiras pelas quais acredita que a tecnologia transformará fundamentalmente os negócios e a sociedade nos próximos cinco anos, com base no trabalho realizado pelo IBM Research e em tendências gerais da indústria.

As previsões do IBM 5 in 5 deste ano estão focadas em acelerar a descoberta de novos materiais para permitir um futuro mais sustentável. Em consonância com a chamada global das Nações Unidas para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, os pesquisadores da IBM estão trabalhando para acelerar a descoberta de novos materiais que endereçarão os principais problemas globais, como energia limpa, promoção de ações para melhorar a saúde da população mundial e o fortalecimento de práticas de sustentabilidade, produção responsável e ação climática.

A IBM acredita que, nos próximos cinco anos, novos materiais ou novos usos para os materiais existentes contribuirão para que a sociedade possa lidar com muitos dos desafios globais que enfrentamos:

Receba grátis nossa newsletter

• Captura eficiente de dióxido de carbono da atmosfera e armazenamento com segurança para mitigar mudanças do clima  – Nos próximos cinco anos, seremos capazes de capturar o CO2 do ar e transformá-lo em algo útil. O objetivo é tornar a captura e reutilização de CO2 eficiente o suficiente para que haja uma escala global. Com isso, podermos reduzir significativamente o nível de CO2 prejudicial na atmosfera e, em última instância, desacelerar as mudanças climáticas.

• Encontrar maneiras mais sustentáveis de cultivo para alimentar nossa crescente população e, ao mesmo tempo, reduzir as emissões de carbono –  Replicaremos a capacidade da natureza de converter o nitrogênio do solo em fertilizante rico em nitrato, alimentando o mundo e reduzindo o impacto ambiental dos fertilizantes. Apresentaremos uma solução inovadora para permitir a fixação de nitrogênio em uma escala sustentável que ajudará a alimentar a população mundial que se encontra em rápido crescimento.

• Repensar baterias e armazenamento de energia  – Os cientistas estarão empenhados em descobrir novos materiais para o desenvolvimento de baterias mais seguras e com menor impacto ambiental, capazes de suportar uma rede de energia baseada em fontes renováveis. Muitas fontes de energia renováveis são intermitentes e requerem armazenamento. O uso de inteligência artificial e computação quântica resultará em baterias construídas com materiais mais seguros e eficientes para um melhor desempenho.

• Aprender com nosso passado para promover um futuro mais saudável – Nos próximos cinco anos, a intenção é contribuir para a criação de tratamentos na área de saúde, auxiliando médicos e profissionais da linha de frente no combate a novos vírus potencialmente fatais e em uma escala maior do é atualmente possível. Uma combinação de Inteligência Artificial, Analytics e dados pode ajudar potencialmente na análise rápida de evidências médicas, sugerindo caminhos para reaproveitamento e produção de medicamentos e acelerando testes clínicos. No futuro, essas ferramentas podem ter ampla adoção em todos os setores, tornando-se efetivamente um dos meios de respondermos rapidamente a vírus globais potencialmente fatais.

Criar dispositivos eletrônicos mais sustentáveis – Nos próximos cinco anos, será possível avançar na fabricação de materiais, permitindo que os fabricantes de semicondutores melhorem a sustentabilidade de seus produtos. Os cientistas irão adotar uma nova abordagem para o design de materiais que permita à indústria de tecnologia produzir mais rapidamente materiais sustentáveis para a produção de semicondutores e dispositivos eletrônicos.

Normalmente, a descoberta de um novo material com propriedades específicas leva cerca de 10 anos e  exige o investimento de mais de até US$ 100 milhões, em média. Os cientistas da IBM pretendem reduzir as duas variáveis: o número de anos e o custo, em 90%, com a ajuda de tecnologias como inteligência artificial (IA), amplificação de dados com computação clássica tradicional e computação quântica emergente, e os chamados ‘modelos generativos’ e automação de laboratório, por meio da nuvem híbrida aberta. A convergência dessas tecnologias permitirá modernizar a modernização do processo de descobertas científicas: saindo da coincidência, sorte e acaso, para uma condição de confiança calculada.

Primeiro, a IA consolidará todo o conhecimento da humanidade em um tópico específico. Então, os supercomputadores e, por fim, as simulações quânticas preencherão lacunas de conhecimento. Usando dados do passado capturados pela IA, será possível modelos para gerar hipóteses sobre os novos materiais necessários para enfrentar esse desafio. Por fim, busca-se a automação da fabricação e teste desses materiais, com a ajuda de tecnologias em nuvem. Dessa forma, todo o trabalho da IBM em tecnologia quântica, Inteligência Artificial, computação de alto desempenho e nuvem híbrida ajudará a acelerar o processo de descoberta.

Como tornar a sustentabilidade central para os negócios

Sustentabilidade

Como tornar a sustentabilidade central para os negócios

Uma pesquisa mostra que os Heads de Sustentabilidade das empresas adotam três abordagens distintas: assimilação, mobilização e transição. Cada abordagem é caracterizada por microestratégias distintas que os indivíduos empregam par...

Por Sarah Birrell Ivory e Brad McKay, The Conversation
Indústria 4.0: inovações essenciais para desenvolvimento sustentável

Sustentabilidade

Indústria 4.0: inovações essenciais para desenvolvimento sustentáv...

Aliança entre organizações internacionais e empresas de tecnologia visa fortalecer inovações da Quarta Revolução Industrial nesta década para bater metas sustentáveis da ONU

Por João Ortega
Ligado nos 220 Volts

Entrevista

Ligado nos 220 Volts

O uso e a venda dos carros elétricos vão mudar o cenário da mobilidade urbana, garante o CEO da Hitech-e, Rodrigo Contin

Por Cristina De Luca