s
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

A automação inteligente acelera a transformação digital da Suzano

SARA, a robô de compras da companhia, é um case emblemático de como o pensamento estratégico, aliado à agilidade, open innovation e tecnologias emergentes, aumenta a produtividade

Os fornecedores estão encantados com a SARA. Ela é hoje o xodó das áreas de Suprimentos, Tecnologia e Inovação aberta da Suzano. Faz solicitações de cotações, análise e atualização de informações, follow up com fornecedores e emissão dos pedidos. E, desde junho, ganhou autonomia para compras de materiais elétricos com valores de até R$ 1 mil. Já transaciona 60% do volume comprado no segmento de MRO (materiais de manutenção e indiretos, tais como fios, lâmpadas e material de construção). A redução de custo proporcionada até junho deste ano foi de R$ 11,98 milhões, mesmo só tenso iniciado suas atividades no começo do ano. E a produtividade mais que dobrou, passando de 24,8 produtos em média por comprador por dia útil, para 63 produtos.

SARA é a compradora automatizada e autônoma da companhia. E embora o nome seja um acrônimo masculino - Serviço de Análise de Requisições Automatizado - internamente ela é mais identificada como a IA da área de suprimentos, desenvolvida em parceria com a 42 Codelab, startup referência em IA e Machine Learning no Brasil. Por isso "a" SARA, como é carinhosamente chamada.

Para entender o porquê da sua criação é preciso entender primeiro como era realizado o processo de compras da Suzano antes do projeto. Extremamente manual, com alta demanda de itens, ele dependia de uma equipe dedicada para realizar todo o processo operacional, despendendo tempo e recursos financeiros. "A ideia inicial era digitalizar o processo de compras para tirar o nosso pessoal do operacional e focar nas negociações estratégicas e nos grandes contratos", conta Viviane Danemberg, executiva responsável pela área de suprimentos e logística inbound da companhia. Além dissso, a tecnologia tem permitido a ampliação da base de fornecedores consultados, garantindo a isonomia do processo e sustentabilidade à cadeia.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Eles apostam alto no fruit-based

Entrevista

Eles apostam alto no fruit-based

Le Mendes e Pedro Ian estão emprenhados em transformar a Fábrica Meatz em uma das maiores foodtechs brasileiras, com produtos disruptivos e inéditos, como a recém-lançada carne louca de jaca

A Black Friday é a hora de colher os frutos das estratégias de IA

Inteligência Artificial

A Black Friday é a hora de colher os frutos das estratégias de IA

A inteligência artificial ajuda a oferecer uma melhor experiência para o consumidor por permitir que a marca conheça a fundo o cliente. Assim, as empresas se destacam da concorrência na Black Friday.

Por Marina Hortélio
10 principais tecnologias emergentes de 2021 da WEF

Inovação

10 principais tecnologias emergentes de 2021 da WEF

A edição do 10º aniversário do Relatório das 10 principais tecnologias emergentes do Fórum Econômico Mundial lista as novas tecnologias que devem impactar o mundo nos próximos três a cinco anos

Por Mariette DiChristina e Bernard Meyerson, Fórum Econômico Mundial
No will bank, a meta é mudar a relação entre pessoas e bancos

Entrevista

No will bank, a meta é mudar a relação entre pessoas e bancos

O banco digital quer que o mundo das finanças deixe de ser um bicho de sete cabeças ao resolver os problemas de quem tem conta e também dos desbancarizados

Por Marina Hortélio
Inovação aberta em ritmo global

Inovação

Inovação aberta em ritmo global

Muitas organizações lançam mão de plataformas de crowdsourcing e de tecnologia para captar ideias para quem está tentando acelerar a mudança interna

Cuidado com termos como

Inteligência Artificial

Cuidado com termos como "IA para Todos"

Para a sociedade civil, existe um receio de que as Big Techs controlem a Inteligência Artificial