s
Crédito: Divulgação

ECONOMIA DIGITAL

Paixão do Uber agora é a estrada

Com aporte milionário, o Uber Freight ganha espaço e coloca empresa em posição para se tornar gigante de entregas

Por Redação The Shift 05/10/2020

Quem fica parado é poste e o Uber sabe disso. Enquanto o negócio de transporte urbano tenta se recuperar do baque da pandemia, a unidade de carga do Uber – a Uber Freight – passou a valer US$ 3,3 bilhões, graças ao aporte de US$ 500 milhões de um grupo de investimento liderado pelo Greenbrier Equity Group.

Nessa frente, o Uber conecta empresas que têm uma carga para entregar a motoristas de caminhão e transportadores. A tecnologia de logística – que o grupo investidor definiu como “inovadora e efetiva” –, é altamente escalável.

A estratégia do Uber é se transformar em uma empresa de entregas no mais amplo sentido que você pode imaginar. Antecipando essa movimentação, a companhia integrou o negócio de cargas com o Uber Direct, serviço lançado em abril deste ano que entrega “qualquer coisa” para residências e empresas. Em algumas cidades, lojistas passaram a oferecer desde então a possibilidade de entrega do produto via Uber Direct em até duas horas após a compra.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Experimente grátis por 30 dias

Aviação: os eVTOLs estão dobrando a esquina

Inovação

Aviação: os eVTOLs estão dobrando a esquina

O protótipo de eVTOL da SkyDrive, da Toyota, é capaz de voar por pouco tempo, entre cinco e dez minutos, mas a estimativa da empresa é de que consiga voar por meia hora

Por Redação The Shift
Aviação autônoma: tecnologia chega ao espaço aéreo

Tendências

Aviação autônoma: tecnologia chega ao espaço aéreo

Segundo levantamento da firma Ansys, 70% das pessoas acreditam que estarão em um voo autônomo ao longo da vida, e 58% o fariam ainda nesta década

Por Redação The Shift
As duas faces da gig economy

Economia Digital

As duas faces da gig economy

De um lado, trabalhadores informais recorrem a plataformas de delivery por necessidade. Do outro, profissionais qualificados buscam maior flexibilidade. Como garantir direitos a todos?

Por João Ortega