s
Crédito: Jan Kopriva/Unsplash
SUSTENTABILIDADE

Um modelo disruptivo para trazer energia livre

A plataforma da Omega traz para o mercado de energia um modelo disruptivo semelhante ao que a cloud computing trouxe para os dados, com a contratação de infraestrutura as-a-service

Quase um terço (30%) da energia elétrica consumida no Brasil por empresas é comercializada no mercado livre de energia, ou Ambiente Livre de Contratação (ACL), regulamentado há 22 anos pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica). O modelo oferece vantagens, a começar por uma tarifa de energia que pode ser até 30% menor que a tarifa do ambiente de contratação regulada (ACR), e a possiblidade de uso de fontes de energia limpa renovável, como fotovoltaica e eólica, que reduzem a pegada de carbono das empresas.

Mas chegar até esse mercado não é fácil. Seis meses. É o tempo médio que uma empresa leva, passando por consultorias, entrega de documentação, análise de crédito, fiança (que pode chegar a 3% do valor do contrato) e assinatura de papeis, muitos papeis, num processo intensivamente analógico, digamos assim. E quando está nele, o risco da variação de custos é o problema: se ultrapassar o consumo fechado no contrato por um determinado preço, vai ter que pagar o excedente pelo preço do mercado de curto prazo, altamente volátil e potencialmente mais oneroso.

A complexidade do acesso é uma pedra no sapato das empresas pequenas e médias que consomem entre 0,5 MW e 3 MW por ano e que representam um mercado anual de R$ 11 bilhões. É nelas que a Omega Energia está mirando com o lançamento da primeira plataforma digital de compra e gestão de energia no mercado livre que se apoia em um algoritmo para acelerar a contratação e a análise de risco, e oferecer uma tarifa batizada de Smart Flex que se mantém pelo contrato todo, eliminando o risco associado à variação de preço e volume de consumo.

CADASTRE-SE GRÁTIS PARA ACESSAR 5 CONTEÚDOS MENSAIS

Ao cadastrar-se você declara que está de acordo
com nossos Termos de Uso e Privacidade.

Cadastrar

A plataforma da Omega traz para o mercado de energia um modelo disruptivo semelhante ao que a cloud computing trouxe para os dados, com a contratação de infraestrutura as-a-service. Usando o algoritmo para minimizar o risco da flutuação de preço, explica Antonio de Bastos Filho, fundador da Omega Energia. A empresa acredita que vai dobrar seu lucro bruto em dois anos, passando de R$ 40 milhões para mais de R$ 100 milhões. Que pode crescer muito com a abertura do mercado livre de energia para consumo residencial, uma promessa do governo para até 2024. Aí estamos falando de um mercado de mais de R$ 100 bilhões ao ano.

5 tendências que vão guiar o mercado de energia renovável

Sustentabilidade

5 tendências que vão guiar o mercado de energia renovável

A indústria de energia eólica e de energia solar se prepara para dar um salto de crescimento a partir de 2022

Sustentabilidade X Agronegócio: uma parceria que pode abrir o mercado de créditos de carbono

Sustentabilidade

Sustentabilidade X Agronegócio: uma parceria que pode abrir o mercado...

Através de programas, como o PRO Carbono da Bayer Crop Science, seria possível envolver agricultores no sequestro de carbono em plantações com melhores práticas de manejo

Estar na nuvem é cada vez mais estratégico

Tendências

Estar na nuvem é cada vez mais estratégico

Governos e empresas precisam considerar o valor da nuvem na reformulação da economia para o digital

Apoio à inovação: a virada digital da Arezzo&Co

Inovação

Apoio à inovação: a virada digital da Arezzo&Co

Fechar parcerias com as startups é uma parte fundamental do processo de transformação digital do grupo

O futuro pertence às empresas adaptadas, desenvolvidas e evoluídas

Transformação Digital

O futuro pertence às empresas adaptadas, desenvolvidas e evoluídas

Na transformação digital, é preciso falar uma linguagem comum que não pode estar baseada na tecnologia e sim na estratégia

Pill digitaliza a farmácia para gerar mais valor para o paciente

Inovação

Pill digitaliza a farmácia para gerar mais valor para o paciente

A digitalização das farmácias pode escalar um modelo de atendimento farmacêutico mais próximo e personalizado.