s
Angela Strange, partner da Andressen Horowitz Crédito: Reprodução/YouTube
FINTECHS

Toda empresa deveria estar pensando em oferecer serviços financeiros

Para Angela Strange, partner da Andreessen Horowitz, a primeira onda de fintechs provou ser possível oferecer serviços bancários sem ter uma só agência de tijolos e cimento

"Toda empresa deveria estar pensando em oferecer serviços financeiros para atender melhor seus consumidores". Para Angela Strange, partner da Andressen Horowitz, a primeira onda de fintechs provou ser possível oferecer serviços bancários sem ter uma só agência de tijolos e cimento.

A segunda onda disruptiva virá com a proliferação do uso de APIs e as mudanças regulatórias, que permitirão a empresas diversas conectar-se a uma infraestrutura preexistente e oferecer serviços financeiros antes só permitidos a bancos e financeiras tradicionais.

Em pouco mais de 16 minutos, Angela "dá uma geral" no cenário com um enfoque diferente: "o lado único dessa ruptura é que startups e instituições financeiras tradicionais podem tirar proveito dela. Mas a grande maioria virá de companhias que estão agregando serviços financeiros pela primeira vez"...Em cinco anos, eu garanto que 80% de vocês vão se declarar trabalhando no mercado financeiro sem mudar de emprego", disse ela à plateia do a16z Summit.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis e tenha acesso a 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Bancos devem oferecer mais experiências personalizadas e ominichannel

Tendências

Bancos devem oferecer mais experiências personalizadas e ominichannel

Clientes esperam que suas jornadas phygital sejam relevantes, envolventes, sem atrito entre os canais e de baixo custo, revela o estudo World Retail Banking, da Capgemini. Só fintechs conseguem

Fintechs mostram que mexer com dinheiro também é coisa de criança e adolescente

Inovação

Fintechs mostram que mexer com dinheiro também é coisa de criança e...

Startups voltadas para menores de idade oferecem produtos digitais, como cartão de débito e Pix, para ajudar a educar financeiramente esse público.

Por Marina Hortélio
Agfintechs transformam o acesso a crédito agrícola no Brasil

Fintechs

Agfintechs transformam o acesso a crédito agrícola no Brasil

As startups vêm ganhando espaço no mercado de crédito agrícola, um segmento dominado por bancos e distribuidores de insumos

Por Marina Hortélio
Com ETF, Hashdex aposta no DeFi

Inovação

Com ETF, Hashdex aposta no DeFi

As finanças descentralizadas vem ganhando notoriedade com a premissa de disruptarem o setor financeiro.

Por Marina Hortélio

Entrevista

"Compre agora, pague depois", em ritmo de América Latina

O BNPL (Buy Now, Pay Later), crédito online parcelado, faz sucesso nos EUA impulsionado pela geração Z. Na América Latina, a fintech colombiana Addi foca no lado inclusivo da tecnologia, e entra no Brasil usando o PIX como forma de cheg...

O impacto econômico e social das carteiras digitais móveis

Fintechs

O impacto econômico e social das carteiras digitais móveis

A desintermediação das finanças por meio de superapps e carteiras digitais gera inclusão, conveniência e "engorda" o bolso dos usuários

Por Silvia Bassi