s

ENTREVISTA

Neurociência organizacional: entender o cérebro é diferencial nos negócios

Durante a pandemia, desafios para a gestão da mudança de comportamento no trabalho são ainda maiores

Por João Ortega 09/03/2021

A pandemia da Covid-19 traz inúmeras consequências para a sociedade. Uma delas é que as empresas estão mais abertas a alternativas inovadoras para superar a crise. Outra é a valorização da ciência como método para enfrentar as adversidades.

Na intersecção destes dois temas está a neurociência organizacional, que é o estudo do cérebro aplicado a negócios. Segundo artigo da Harvard Business Review, “a neurociência aplicada é melhor descrita como o uso de ferramentas e insights da neurociência para medir e compreender o comportamento humano”.

A neurocientista Ana Carolina Souza, sócia-fundadora da startup Nêmesis Neurociência Organizacional, faz parte do movimento que leva o conhecimento do cérebro humano ao setor corporativo. Em entrevista exclusiva à The Shift, a pesquisadora e empreendedora revela que a mudança comportamental rápida e extrema gerada pelo isolamento social exige tempo e esforço.

Conteúdo exclusivo para membros da The Shift

Aproveite a promoção e assine

Computação Neuromórfica, IA Emocional e o futuro

Inteligência Artificial

Computação Neuromórfica, IA Emocional e o futuro

A expectativa da indústria é a de que a Computação Neuromórfica ande mais rápido que a Computação Quântica em relação à disponibilidade de produtos de baixo custo

Por Redação The Shift
Como pensar como um futurista?

Tendências

Como pensar como um futurista?

Comece a se concentrar no agora. Futuristas trafegam por uma estrada multidisciplinar que combina olhar atento para os sinais do presente, ciência, informação, dados e novos modelos mentais.

Por Silvia Bassi
Custo ambiental e energético de treinar machine learning cresce

Inteligência Artificial

Custo ambiental e energético de treinar machine learning cresce

A busca por modelos cada vez mais precisos está aumentando o gasto energético com desenvolvimento de redes neurais

Por Kate Saenko, The Conversation