s
Crédito: Max Pixel
SEGURANÇA

Lições da pandemia para a cibersegurança

Desde o início de março, em meio à escala da pandemia de coronavírus, os ataques cibernéticos à Organização Mundial de Saúde (OMS) mais que dobraram, mas aparentemente nenhum deles foi bem-sucedido

Desde o início de março, em meio à escala da pandemia de coronavírus, os ataques cibernéticos à Organização Mundial de Saúde (OMS) mais que dobraram.  Nenhum deles foi bem-sucedido, diz o diretor de segurança da informação da entidade, Flavio Aggio.

A cibersegurança tem sido uma preocupação a mais em meio ao caos de saúde pública e da anunciada crise econômica. Manter tudo em conformidade diante do êxodo global de escritórios e do aumento do trabalho remoto é um desafio significativos para a maioria das organizações. Ariel Zeitlin, co-fundador e CTO da Guardicore, enxergou na reação global à pandemia reflexos dos microcosmos das empresas em relação à segurança cibernética.

Os países que apresentaram maior sucesso na mitigação das ameaças alimentar e sanitária provocadas pela Covid-19, até agora, adotaram medidas que guardam total paralelo com aquelas tomadas em reação às ameaças cibernéticas. Os principais fatores da mitigação bem-sucedida são:

  • Testes de visibilidade - Sem entender a extensão do problema, não é possível o controle. O teste é essencial para saber quem são os portadores do Coronavírus, onde eles estão localizados e que outros grupos de pessoas podem afetar. Também na cibersegurança, uma boa decisão depende dos dados que se tem. No dia a dia, as empresas contam com visibilidade para melhor gerenciar seus ativos de TI. Em uma crise (ou sob ataque), é preciso ter visibilidade para entender o que está acontecendo, onde, e qual é a extensão dos possíveis danos.
  • Segmentação ou quarentena para controle –  Recorrer à quarentena para restringir o acesso de e para populações infectadas interrompe a propagação em grandes áreas, seja quando falamos de seres humanos ou de computadores. O oposto também é verdadeiro: quanto mais tempo se leva para segmentar o problema, mais rapidamente o vírus se espalha. Daí a importância de uma infraestrutura segmentada antes que os problemas surjam e fujam ao controle.
  • Proteção dos elementos mais vulneráveis com boas práticas - Ficou claro desde o início, que o Covid-19 era mais letal para certos grupos demográficos. Reduzir o contato com pessoas potencialmente infectadas é essencial para proteger populações importantes e em risco (ou, em termos de segurança cibernética, ativos críticos e vulneráveis). Para manter suas operações, é importante que as empresas protejam seus ativos críticos, sejam eles pessoas ou aplicativos.

Este é um conteúdo exclusivo para assinantes.

Cadastre-se grátis para ler agora
e acesse 5 conteúdos por mês.

É assinante ou já tem senha? Faça login. Já recebe a newsletter? Ative seu acesso.

Segurança: Protegendo os Jogos Olímpicos de Paris 2024

Segurança

Segurança: Protegendo os Jogos Olímpicos de Paris 2024

Diferentes soluções estão sendo implementadas para garantir a segurança dos jogos olímpicos desse ano.

Do Deepfake ao ChatGPT: como a IA impulsiona fraudes e golpes

Segurança

Do Deepfake ao ChatGPT: como a IA impulsiona fraudes e golpes

Foi-se a época em que a ortografia e a gramática inadequadas eram indicadores de um possível golpe. Há necessidade urgente de soluções inovadoras.

Por Cassiano Cavalcanti *
Não adianta trancar a porta e deixar a janela aberta

Segurança

Não adianta trancar a porta e deixar a janela aberta

Vulnerabilidades conhecidas desempenharam um papel importante nos ataques de 2022

Redes blockchain são seguras?

Segurança

Redes blockchain são seguras?

A tecnologia blockchain foi construída em torno das ideias de consenso, descentralização e criptografia de modo a garantir confiança nas transações. Mas esta é uma cláusula pétrea? Sem ameaças, riscos ou imperfeições?

Cresce a

Segurança

Cresce a "tecnologia hostil" em 2023

A natureza das ameaças cibernéticas está mudando e os métodos tradicionais para prevenir ataques estão falhando rotineiramente. As empresas vão precisar ampliar seu escopo de segurança para proteger os consumidores e minimizar o pote...

A cibersegurança chegou ao board, mas falta trazer o CISO

Segurança

A cibersegurança chegou ao board, mas falta trazer o CISO

Pesquisa com 600 membros de conselhos administrativos de empresas globais mostra que o Brasil é o país que menos conecta responsáveis pela segurança digital com a gestão.